LUGARIZAÇÃO MOSTRA seus resultados das residências coreográficas – edição 2015

LUGARIZAÇÃO 2015 – Resultados das Residências Coreográficas – GRATUITO

08/12/2015 – terça – às 20h.  No ESPAÇO CÊNICO O LUGAR, Rua Augusta, 325 – São Paulo – SP.

e-flyer_lugarizacao copy

A escolha dos projetos, para as Residências Coreográficas / LUGARIZAÇÃO 2015, foi muito difícil, por isto este ano contou com os procedimentos criativos de seis artistas e não de apenas três.  Estes criadores aceitaram dividir as ajudas de custos,  para que assim fosse viabilizado. Nesta edição foram em torno de 60 projetos inscritos, com um número elevado de projetos interessantes, optou-se por convidar inicialmente alguns artistas para conversar, e daí então, escolher quais os projetos participantes. Este procedimento foi importante, para que cada artista pudesse falar sobre seu processo e também conhecer um pouco sobre os outros artistas inscritos, o que foi extremamente positivo. Esta edição do LUGARIZAÇÃO teve  início no mês de  agosto/15, apresentaram-se recentemente na VIII MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA no SESSÃO MEIA-NOITE OLHO NELES (dias 21/11 e 28/11), agora no dia 08/12/2015, terça, às 20h, apresentarão novamente seus experimentos em uma mesma noite, com os seis projetos selecionados, após as apresentações ocorrerá um bate-papo, com todos os artistas e o público presente finalizando assim o LUGARIZAÇÃO-2015. Aos artistas do corpo interessados,  no início do ano de 2016, lançaremos um chamamento para novas inscrições de artistas residentes.  Agradecemos mais uma vez a todos os interessados e aos artistas que aceitaram participar destas conversas, que contribuirão para o desenvolvimento de futuras edições.    Ótimos experimentos a todos!  Fotos clicadas na VIII Mostra Lugar Nômade de Dança por Inês Correa.

  •  Calu Zabel – “O Axexê da Bailarina Morta”
O Axexê da Bailarina Morta - Calu Zabel
Axexê é o ritual fúnebre do candomblé, que serve de inspiração para esse trabalho. A bailarina morta é alguém com quem compartilhei uma identidade. Esses dois elementos criam essa pesquisa em dança e performance sobre corpo, memória e imaginação. (em processo). Ficha Técnica Concepção/performance: Calu Zabel. Figurino: Gabriel Gutierrez. Colaboradores: Maíra Silvestre, Ubiratã Trindade e Gabriel Gutierrez. Produção: Carpideiras Produções Artísticas Ltda. Duração: 30 minutos
  • Adega Olmos e Thiago Salas – “Corações Partidos”
Ines Correa_221115_Adega_Z_0803wSerão realizados experimentos e reflexões, a partir de um mote conceitual, cunhado na análise de estados psicológicos existente em situações de aflição, geradas na fragmentação do ser, em relações que se interrompem, quebram, geram perdas, criam faltas e assim causam a fragmentação do ser, definida pela expressão – CORAÇÃO PARTIDO. Ficha Técnica: Criação e Concepção: Adega Olmos e Thiago Salas. Performers: Adega Olmos e Thiago Salas. Figurino: Helena Obersteiner. Duração: 30 minutos
  • Larissa Verbisck e Bruno Avoglia – DERRAMAVIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015Criação interlinguagem de dança e música é um trabalho cênico cujo assunto poético volta-se para o que sangra. Derrama, a partir da metáfora do sistema sanguíneo humano, discute as hemorragias de uma America Latina ferida.
    Ficha Técnica: Direção e Intérprete: Larissa Verbisck. Direção e Intérprete Musical: Bruno Avoglia. Iluminação: Maria Basulto. Duração: 25 minutos
    • Josefa Pereira – HideBeHide
    VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015
    Se a dança é de alguma maneira uma força invisível que toma o corpo para o movimento, que faz com que alguém se lance pelo espaço, poderia ela ser única e radicalmente movida pelo nosso desconhecido e invisível lado? Como dançar o desconhecido? Como dançar com as costas, ou para trás? Como dançar unicamente com este nosso lado desconhecido? Que tipo de coreografia isso faria emergir?
  • Michele Carolina – Estudos Opacos
  • VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015É uma pesquisa de movimento e dança que nasce nas ruínas e demolições geradas pela intensa ação de verticalização da cidade de São Paulo. A construção deste cenário altera profundamente as relações sociais, geopolíticas, econômicas e arquiteturais da cidade e esta pesquisa propõe-se adentrar, de forma poética, em algumas destas trincheiras urbanas. Este estudo bebe na teoria dos Territórios Opacos e Luminosos do geógrafo Milton Santos. Ficha Técnica: Concepção, dança, objetos e figurino: Michele Carolina. Artista visual: Rafael Frazão. Fotografia: Rafael Frazão. Duração: 30 minuto
    Joana Ferraz – “Besta”
    Besta - Joana Ferraz
    “Estarei aqui, pesarei sobre o assoalho. Eu sou.”Um galho de árvore, um tronco úmido, um pedregulho, um porco morto. O peso das coisas no chão. As coisas. O nome de cada coisa. Existência contra existência. Ficha Técnica Dança: Joana Ferraz. Som: Joana Ferraz e Ricardo Vincenzo. Fotografia: Ilana Lichtenstein. Duração: 30 minutos. Agradeço aos Montes, aos Players, aos Exercícios Compartilhados e aos amigos que visitam esse processo em conversas, em ensaios, em existindo na minha vida.