IMPRENSA: #Dr. Faustroll 01

#Dr.Faustroll – 01, novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades, faz pré-estreia entre 15 e 17 de dezembro de 2017  no Espaço Cênico O Lugar

Ciacorposnomades #Dr. Faustroll - 01 foto João Hidaldo

 

O espetáculo é inspirado no surrealismo, na patafísica, no acaso, na relação com o poder e o desejo eterno de se atingir o absoluto.

 

Cia. Corpos Nômades, idealizada pelo coreógrafo João Andreazzi, apresenta pré-estreia do espetáculo #Dr.Faustroll – 01 entre os dias 15 e 17 de dezembro, sexta-feira e sábado, às 21h, e domingo, às 20h30, no Espaço Cênico O Lugar. A companhia conta com aporte do 20º Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo e da parceria com O Boticário na Dança, através do PROAC-ICMS (Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo).

Essa é a oportunidade para o público assistir uma versão work-in-progress do espetáculo, previsto para estrear oficialmente em março de 2018. A peça nasce a partir do mito de Dr. Fausto, visitado por Goethe nas obras Zero, o 01 e o 02 Dr. Faust, escritas ao longo de sua vida. Já O Dr. Faustroll de Alfred Jarry, que foi publicada postumamente em 1911, faz deste personagem, que nasce já com 63 anos, o “fundador”da Patafísica (ciência das soluções imaginárias e das leis que regulam as exceções). Nesta nova montagem, buscou-se projetar a noção/imagem ao corpo do intérprete, da junção faustrólica, patafisica, surrealista e das diversas citações e navegações contidas na obra de Jarry.

 Ciacorposnomades #Dr. Faustroll - 01 foto João Hidaldo-3

Além das apresentações, João Andreazzi oferece, gratuitamente, o Ateliê Coreográfico Corpos Nômades, evento que abordará o processo de criação de #Dr.Faustroll – 01. O bate-papo acontece no dia 16, sábado, das 15h às 17h, no Espaço Cênico O Lugar. Para se inscrever, basta enviar e-mail com carta de interesse para ciacorposnomades@gmail.com, com o assunto Ateliê Coreográfico #Dr. Faustroll01.

 Ciacorposnomades #Dr. Faustroll - 01 foto João Hidaldo -1

Ficha Técnica

Concepção e Direção: João Andreazzi Elenco: Gervasio Braz, Rossana Boccia, Vagner Cruz, Cristiano Bacelar e João Andreazzi Assessoria Poética: Claudio Willer Tradução: Éclair Almeida Filho Trilha Sonora: Guisado e Thiago Duar Iluminação: Décio Filho Figurino: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker Cenário: Cia. Corpos Nômades Fotos João Hidalgo Músicos que participaram do processo: Alexandre Rosa e Rica Bigio.

Serviço

 

#Dr. Faustroll 01

 

Temporada: De 15 a 17 de dezembro de 2017. Sexta-feira e sábado, 21h, e domingo, 20h30.

Sinopse: Work-in-progress (pré-estreia) do novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades, que utiliza como inspiração o mito do Dr. Fausto, desde Marlowe até Alfred Jarry.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia – estudantes, classe artística e terceira idade). Classificação Etária: 14 anos.

Duração: 60 minutos

Parceria: O Boticário na Dança através do Proac ICMS Realização – 20o Programa de Fomento à Dança de SP, Secretaria Municipal de Cultura de SP, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e Governo de São Paulo.

Espaço Cênico O Lugar – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224 – ciacorposnomades@gmail.com .  Facebook: ciacorposnomades. www.ciacorposnomades.art.br

 

MOSTRA LUGAR NÔMADES DE DANÇA CHEGA

NA DÉCIMA   EDIÇÃO, COM PROGRAMAÇÃO INTENSA

e-flyer-cartazA3_XMostra-5

Mostra realizada pela Cia. Corpos Nômades  chega na sua 10ª edição, buscando sempre  trazer um recorte do panorama da produção atual de dança contemporânea,  com uma programação envolvendo espetáculos, workshops e bate-papos.

Entre os dias 01 e 10 de dezembro de 2017, a sede da Cia Corpos Nômades, batizada de Espaço Cênico O Lugar, receberá  15  espetáculos de dança, dois workshops, bate-papos, dentro da X Mostra Lugar Nômade de Dança. Levando ao público uma visão da produção atual da dança contemporânea, bem como de  novas pesquisas e de provocações estéticas. A direção artística da mostra é do coreógrafo João Andreazzi e a Cia. Corpos Nômades conta com o aporte do 20º Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo e da parceria com O Boticário na Dança, através do PROAC-ICMS (Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo).

Durante duas semanas o público poderá conferir trabalhos de nomes como Ruth Rachou (completou 90 anos em 2017), Raul Rachou, Gicia Amorim, InSaio Cia. de Arte (direção Claudia Palma), Mariana Muniz, Ângelo Madureira, Andréia Nhur, Janice Vieira e  a Cia Corpos Nômades que apresenta um work-in-progress da  nova criação inspirada  no mito do DR. Fausto.

Além desta programação, a mostra também apresenta a Sessão Meia-Noite Olho Neles, voltada para novas criações e novos talentos da dança, entre elas os selecionados de 2017 do programa de residência artística “Lugarização”, que acontece na sede da Cia Corpos Nômades e tem como objetivo proporcionar um espaço onde os artistas possam desenvolver seus trabalhos de pesquisa e experimentação em dança contemporânea. Além das cinco profissionais participantes da residência – Luisa Coser, Leticia Rodrigues, Maria Basulto, Gabriela Branco e Lilian Wiziaki; estarão presentes: Cia. Tentáculo. Jovem de Dança (direção de Liliane de Grammont), Imo Coletivo (Samya Enes, Fabio Mazione e Cadu Ribeiro) e Talita Florêncio.

Com o objetivo de ampliar a troca e disseminação de informações e ideias, a mostra contempla bate-papos, dentro de Tea Time: O Lugar em Reflexão, que acontece aos sábados, sempre às 16 horas, no sábado 02/12 a mediação da conversa será de Célia Gouvêa.  Ainda na programação, dia 03/12 (domingo) acontecerá um Workshop de Dança Técnica Cunningham com Gícia Amorim.  No domingo 10/12 um Workshop Estudos de Movimento para a Cena com Mariana Muniz. No dia 09/12/2017 –  sábado das 17h às 19h – Palestra sobre Alfred Jarry (autor do Gestas e Opiniões de  DR. Faustroll ), com Claudio Willer. Todos eventos gratuitos.

Durante o período da Mostra teremos um video documentário sobre a vida da artista Ruth Rachou, que em 2017 completou 90 anos de vida, foram e são décadas dedicadas à  dança.

Nesta décima edição a Mostra faz parceria com a XI Mostra de Fomendo à Dança de São Paulo.

Esse evento, segundo João, marca os dez anos de existência do Espaço Cênico O LUGAR, inaugurado em 2007 e ganhador do Prêmio APCA 2010 (Associação Paulista de Críticos de Arte) por Modelo de Espaço de Difusão de Dança. “Há nestas ações a motivação de dividir o espaço físico para apresentação de trabalhos e para residências, e possibilitar o compartilhamento de ideias e de procedimentos criativos entre as companhias e os artistas independentes”, comenta Andreazzi.

PROGRAMAÇÃO

X MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA –  edição 2017

1ª SEMANA Da PROGRAMAÇÃO – 01, 02 e 03 de dezembro  de 2017 (sexta às 21h, sábado e domingo às 20h30)

·   Ruth e Raul Rachou – Duas ou três coisas que eu sei Dela

Espetáculo Caminhada. 1974. Fotógrafo Sebastião Sauirra.

Grande parte do legado de Ruth Rachou continua com seu filho Raul, que seguiu os passos da mãe em trabalhar e criar dança. Como ele mesmo diz “é a tradição em transformação”. Este solo tem como universo de pesquisa e inspiração a história artística de sua mãe.

Ficha Técnica: Criação: Raul Rachou Interpretação: Ruth Rachou e Raul Rachou Iluminação e operação: Rafael Petri Coordenação de Produção: Ação Cênica Produções Artísticas Foto: Natália Gresenberg Duração: 30 minutos

▪     Grupo Pró-Posição Grupo Pró-Posição  (Andréia Nhur e Janice Vieira) – Peças Fáceis

Peças Fáceis - Bach

O trabalho propõe um estudo entre dança e música a partir de músicas barrocas de J.S.Bach e C.Petzold. Nesta criação, mãe e filha dançam, cantam e tocam instrumentos numa proposta que nomeiam como “sonorocoreografia”. A partir de memórias musicas comuns, movimentos e sons são produzidos na mesma dimensão temporal, ora por um disparo de voz que é gesto dançado, ora por uma propulsão de instrumento que é corpo.

Ficha Técnica:  Criação e execução: Janice Viera e Andréia Nhur Colaboração artística: Isabelle Launay Iluminação: Roberto Gill Camargo Produção: Paola Bertolini Duração: 40 minutos

 

·      Gicia Amorim – DISSONÂNCIAS

Gicia Amorim Solo GZ 2017 copia

Este projeto de colaboração entre o percussionista Joaquim Abreu e a bailarina Gícia Amorim é o resultado de um processo criativo baseado nos conceitos de independência entre a ação coreográfica e o discurso musical e tem como proposta apresentar obras com linguagens composicionais bastante distintas entre elas.

Ficha Técnica: Coreográfia e Intérprete: Gícia Amorim  Percussão: Joaquim Abreu Obras Músicais: John Cage – 27’10.554”e trio for percussin L.C. Cseko – Noite do Catete 5 – Roberto Sierra – Bongo – O Duração: 25 minutos

 

·   Ângelo Madureira – Delírio

imagejpeg

Espetáculo solo de Ângelo Madureira, foi criado em 1999, após o processo de pesquisa do solo de Bateria feito através da Bolsa de Pesquisa Rede Stagium, em 1998. Neste experimento, Ângelo Madureira buscou no livro Frevo Capoeira e Passo de Waldemar de Oliveira, conceitos sobre o frevo. Nesse livro, Waldemar cita que o frevo é a música e o passo é a dança. Através desse conceito, Ângelo Madureira desenvolveu o solo de bateria, onde substituiu a música do frevo pelo som do rock progressivo, com esse material surgiu a seguinte pergunta: – Se tirar a música do frevo, o que se dança? Como resultado desse questionamento surgiu o espetáculo Delírio, uma obra lúdica, com características fortes da maneira de representar a dança popular em cena.

Ficha Técnica:  Criação, interpretação, figurino e cenografia: Ângelo Madureira  Direção: Ana Catarina Direção técnica, administração e iluminação cenográfica: Juliana Augusta Vieira Assistente de direção e produção: Luiz Anastácio Músicas – Delírio: Matinada, Valsa para Bilu, Biu do Pífano, Caldo de Cana, Maracatu Indiano, Mourama, Laursa, Cocão, Kuarupe e A Cobra de  Ántulio Madureira, Relembrando o Norte de  Severino Araújo Duração: 30 minutos

▪    Tea-Time – 02/12/2017. (Lugar em Reflexão) encontro com todos os artistas envolvidos e o público. Mediação de Célia Gouvêa – Sábado às 16h.

▪    Sessão Meia-Noite Olho Neles – 02/12/2017 às 24h

▪       Cia. Tentáculo  Jovem  (Direção Liliane de Grammont) – Onírico

Onirico por Isabelle Delmondes 21

“Onírico” retrata as fantasias e ilusões do individuo em estado de inconsciência. A partir de sonhos relatados pelos interpretes, o roteiro ganha forma. A dramaturgia traduz em movimentos os devaneios oníricos. “Onírico”: Sonhos transformados em dança.

Ficha Técnica: Coreografia: Liliane de Grammont Figurino: Bruna Fernandes Trilha Sonora Original: Ed Côrtes Desenho de luz: Raquel Balekia Edição de vídeo: Felipe Sciotti Elenco:  Sabrina Ferreira, Flora Gomes, Victoria Cavalcante, Rebeca Tadiello, Ana Beatriz Garcia, Isadora Giaretta, Agnes Rumi, Camilla Andrade, Giuliana Zibini, Fabiana Ferrari, Ingrid Laurentino, Carolina Verzolla, Frank Matos, Vinicius Cosant, Pietro Morgado

 

▪    LUGARIZAÇÃO (Residência Coreográfica) Apresentações dos resultados das Residências Artísticas de 2017.

•  CRIATURA – Luisa Coser

IMG_3650 (1)

Refletir sobre espaços de fala onde são encenados e proferidos discursos políticos tornou-se um imperativo para o pensamento artístico neste projeto, em tempos autoritários e arbitrários. Pensar o espaço cênico também como um lugar onde se reproduz a espacialidade de centro-periferia – de onde um fala e muitos escutam-  conduziu a artista a uma investigação elementar da relação entre publico X performer.

Ficha Técnica:  Concepção e coreografia: Luisa Coser Colaboração na pesquisa e dramaturgia: Leonardo Carvajal Figurino e cenário: Juliana Pfeifer Luz: Maria Basulto

·      MODO-CÃO – Lilian Wiziack

imagem para solo Modo cao lilian Wiziaki

Modo-cão busca a partir da obra Wolf Alice, da artista plástica Gina Litherland,  entrar em contato com o modo cão de ser do corpo. E sem forma nos deitamos e devemos sonhar. E depois a chuva. E depois a chuva…

Ficha Técnica: Criação e concepção: Lilian Wiziack Junto com: Renato Jacques Trilha Sonora: Current 93 Duração: 20 minutos

 

•  ZovCoBorob CoBaVzba/Um Idioleto  – Maria Basulto

Maria Basulto - Zob - foto Everton Ferreira

O discurso por meio da não-palavra e a melodia própria da fala de um indivíduo. Primeiras ideias para uma dança sonora / para um movimento barulhento/ para um som dançado.

FICHA TÉCNICA: Criação, concepção e dança: Maria Basulto Trilha sonora: Thomaz Souza Figurino: Carolina Canteli Desenho de luz: Maria Basulto Fotos: Everton Ferreira Duração: 25 minutos

 

·      Workshop Técnica Cunningham com Gícia Amorim das 15h às 17h no Domingo – 03/12/2017.

O workshop tem por objetivo geral abordar a técnica de dança de Merce Cunningham, seus fundamentos e as posições de tronco específicas dessa técnica. Serão explorados deslocamentos complexos no espaço com ênfase no uso e controle de tronco e nas combinações de concordância e oposição entre movimentos de tronco e movimentos de membros inferiores, em velocidades variadas e saltos, solicitando gradualmente maior exigência técnica.

 

 

2ª SEMANA da PROGRAMAÇÃO – 08, 09 e 10  de dezembro de 2017   (sexta às 21h, sábado e domingo às 20h30).

CIA. CORPOS NÔMADES – “#DR. FAUSTROLL 01”

#Dr. Faustroll 01 - 1

Work-in-progress (Pré-estreia) do novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades, que utiliza como inspiração o mito do Dr. Fausto, desde Marlowe até Alfred Jarry.

O que serviu fortemente de impulso para o nascimento desta nova criação, além do surrealismo, da patafísica  e do acaso,  foi a relação com o poder, com o desejo do eterno e o de atingir o absoluto, que é a alma. A essência o âmago da questão do mito de Dr. Fausto,muito bem visitado por Goethe no seus: Zero, o 01 e o 02 Dr. Faust, escritos ao longo de sua vida.       Já O Dr. Faustroll de Alfred Jarry, que foi  publicada postumamente em 1911, faz deste personagem, que nasce já com 63 anos, o “fundador”da Patafísica.  Nesta nova montagem buscou-se projetar a noção/imagem ao corpo do intérprete,  da junção faustrólica, patafisica,  surrealista e das diversas citações e navegações contidas na obra de Jarry.

Ficha Técnica Concepção e Direção: João Andreazzi Elenco:  Gervasio Braz,  Rossana Boccia, Vagner Cruz, Cristiano Bacelar e João Andreazzi Assessoria Poética: Claudio Willer  Tradução: Éclair Almeida filho Trilha Sonora: Diogenes Junior  Video Arte: Daniel Carvalho Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Cenário: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker Músicos que participaram do processo: Alexandre Rosa, Guisado e Rica Bigio Duração: 40 minutos

 

▪    Cia. MARIANA MUNIZ de Dança e Teatro – Fados e Outros Afins

Fados e outros Afins foto de Cláudio Gimenez (2)

Um mergulho nas águas, paisagens e palavras luso-brasileiras e um convite à escuta dos fados portugueses e cantores brasileiros. Com Fados e Outros Afins a bailarina e atriz Mariana Muniz, sob a direção de Maria Thaís, faz uma imersão em suas origens de brasileira e nordestina, numa dramaturgia, concebida a partir de seu corpo, como uma viagem poética de Lisboa a Recife.

Ficha Técnica: Coreografia e interpretação: Mariana Muniz Direção Artística: Maria Thaís Assistente de Direção, Cenografia e Fotos: Cláudio Gimenez Dramaturgia: Murilo de Paula e Carlos Avelino de Arruda Camargo Trilha sonora: Divanir Gattamorta Figurinista: Chris Aizner  Desenho de luz: Aline Santini Cenografia: Julio Dojcsar e Rogério Santos  Operação som: Luciano Renan Coordenação de Produção: Rafael Petri (MoviCena Produções) Duração: 45 minutos

 

·      Cia. InSAiO de Arte (dir. Claudia Palma) – Abissal

iN SAiO_Abissal_foto Claudio Higa 050_

Abissal é um trabalho de dança  que se configura por meio da corporeidade dos intérpretes, do espaço e do som. Cada artista desenvolve seus padrões corporais numa construção poética de profundidades individuais, como se cada um pudesse mergulhar dentro de si, criando e recriando justificativas para os nossos padrões artísticos instintivos. O público assiste aos momentos de ida e volta às zonas alcançadas, que trazem imagens como finitude, resistência, perversidade, feminino, opressão, atritos, num ambiente essencialmente denso. Abissal é um convite ao mergulho em forças intrínsecas a todos nós, uma possibilidade de nos mover para dentro e então mover o outro, o espaço.

Ficha Técnica:  Direção geral: Claudia Palma Intérpretes-criadores: Claudia Palma, Natália Franciscone, Renato Vasconcellos e Carolina Canteli (convidada), Música original e ao vivo: Guilherme Marques Cenografia: Suiá Ferlauto Figurino: Claudia Schapira Desenho de luz: Hernandes Oliveira Provocação filosófica: Rodrigo Vilalba Fotografias: Claudio Higa Assistência de produção: Cristina Ávila Produção: Cristiane Klein (Dionísio Produção Cultural) Duração: 45  min

▪    Tea-Time – 09/12/2017 (Lugar em Reflexão) encontro com todos os artistas envolvidos e o público. Mediação de João Andreazzi – Sábado às 16h.

 

▪    Sessão Meia-Noite Olho Neles – 09/12/2017 às 24h

▪    IMO Coletivo ( Samya Enes, Fabio Manzione e Cadu Ribeiro)  Miséria Prima, Rara Palavra

Foto 1

O espetáculo Miséria Prima, Rara Palavra – para Carolina Maria de Jesus é um trio cênico multilinguagens (dança, teatro e música) baseado na obra e na vida da escritora brasileira Carolina Maria de Jesus. A criação deste espetáculo elabora corporalmente os temas da miséria e da palavra, pontos de apoio da vida e da obra de Carolina. Diferentes camadas dramatúrgicas se compõem como intervenções coreográficas conforme o universo musical criado, uma possível memória sonora do mundo da escritora.

Ficha Técnica: Criação e interpretação: Cadu Ribeiro, Fabio Manzione e Samya Enes Figurino Alex Cassimiro e Valentina Soares Iluminação Celso Melez Fotografia Fabio Minagawa e Fabio Enes Consultora de pesquisa da literatura de Carolina Maria de Jesus Raffaella Andrêa Fernandez

▪       Talita Florêncio – APT.Lab

APT.Lab é um acontecimento sonoro-corporal realizado em um ambiente preparado, onde busca-se tencionar as energias acerca da relação entre corpo e objeto. A performance toma mão da diluição da identidade para uma relação que se conjuga e refaz continuamente entre os contornos do gesto sobre as coisas. Considera-se, assim, o intervalo entre os elementos como espaço relacional e guia da ação, compondo um convívio conjugado entre formas, dimensões, massas, camadas, energias e coisas.

Ficha Técnica: Criação e intérprete: Talita Florêncio. Música: Thiago Salas.

 

▪     LUGARIZAÇÃO (Residência Coreográfica) Apresentações dos resultados das residências artísticas de 2017.

▪ Confissões sobre um tempo sem tempo  –  Letícia Rodrigues

Letícia1 - Foto - wrzaratini

É resultado da residência artística “LUGARIZAÇÃO 2017”. Surtiu de questionamentos sobre o tempo em que vivemos, sobre como vivemos o tempo e como tais percepções afetam nosso modo de viver e perceber o que nos circunda. A partir de tais reflexões, propõe-se diferentes relações com o público a partir da desconstrução da relação artista/palco. No corpo, são explorados gestos cotidianos desconectados de sua função diária, questionando sobre o tempo, sobre a rotina, sobre viver versus (r)existir.

Ficha técnica:  Dança: Letícia Rodrigues Música: Gustavo Infante Figurino: Letícia Rodrigues e Marjoly Lino Desenho de luz: Letícia Rodrigues Fotos: Wrzaratini

 

▪       VOLÁTIL – Gabriela Branco

VOLÁTIL3

V o a
O u s a d a
L a b u t a
Á l t r u í s t a
T r a c i o n a
I n d i g n a
L u c i d e z

Ficha Técnica: Intérprete criadora: Gabriela Branco Figurino: Júlia Melo Trilha Sonora: Levi Freschi Desenho de luz: Gabriela Branco

 

·      Workshop Estudos de Movimento para a Cena com Mariana Muniz – domingo 10/12/2017 das 15 às 17h.

Através dos estudos de movimento, o aluno/artista tem liberdade para pesquisar criativamente suas possibilidades de movimentação, respeitando seu ritmo e tempo individual. Trata-se de um processo de organização de conhecimento em eutonia (bom tônus), através de pesquisa criativa, respeitando os limites e ritmos pessoais.

É um processo de investigação que propõe a expressão pessoal através de estímulos simples e pontuais, possibilitando a experimentação de movimentos conscientes e integradores.

Nos estudos de movimento a memória e a competência seletiva são elementos fundamentais para a composição.

Como sujeito ativo de si mesmo, tem-se a oportunidade de descobrir a origem do movimento e os caminhos que percorrem no corpo. Os estudos proporcionam uma verdadeira comunicação tônica entre os participantes e uma comunicação cênica efetiva.

Além de despertar a consciência do movimento com qualidade, isto é, com economia de esforço e intencionalidade, favorece maior compreensão da funcionalidade do corpo, amplia o repertório de movimentos e promove a liberdade de criação e expressão.

 

▪    Encontro “Alfred Jarry – Dr. Faustroll” com Claudio Willer, sábado 09/12/2017 – 17h às 19h.

Inscrições para os Workshops e Palestra: Encaminhar um e-mail  com  uma carta de intenção para: mostralugarnomadededanca@gmail.com

 

FICHA TÉCNICA DA X MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA 

Para roteiro:

X MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA

Sinopse: Durante duas semanas o público poderá conferir trabalhos de nomes como Ruth Rachou (completou 90 anos em 2017), Raul Rachou, Gicia Amorim, InSaio Cia. de Arte (direção Claudia Palma), Mariana Muniz, Angelo Madureira, Andreia Nhur, Janice Vieira e  a Cia Corpos Nômades . Acontecerá também a Sessão Meia-Noite Olho Neles, voltada para novas criações e novos talentos da dança, entre elas os selecionados de 2017 do programa de residência artística “Lugarização”. Além das cinco profissionais participantes da residência – Luisa Coser, Leticia Rodrigues, Maria Basulto, Gabriela Branco e Lilian Wiziaki; estarão presentes: Cia. Tentáculo. Jovem de Dança (direção de Liliane de Grammont), Imo Coletivo (Samya Enes, Fabio Mazione e Cadu Ribeiro) e Talita Florêncio.

 – De 01 a 10 de dezembro de 2017. Espetáculos da programação principal com apresentações sexta-feira às 21 horas, sábado e domingo, às 20h30. Sessão Meia-Noite de Olho Neles nos sábados (02 e 09/12), às 23h59. Tea-time / Lugar de Reflexão: Conversa com os artistas e o público – gratuito, nos sábados (02 e 09/11) às 15h.   Workshops e Encontro gratuitos: Dança Técnica Cunnigham dia 03 de dezembro, domingo, às 15 h às 17h; Estudos de Movimento para a Cena dia 10 de dezmebro, domingo das 15h às 17h e às 17h30 Encontro sobre “Alfred Jarry”. Direção artística da Mostra – João Andreazzi. Parceria- O Boticário na Dança através do Proac ICMS Realização – 20º Programa de Fomento à Dança de SP, Secretaria Municipal de Cultura de SP, Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e Governo de São Paulo. Ingressos – R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia – estudantes, classe artística e terceira idade). Classificação etária – 14 anos.

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224 – ciacorposnomades@gmail.com .  Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108.  Facebook: ciacorposnomades. www.ciacorposnomades.art.br

Produção

Equipe Corpos Nômades  – (11)  32373224 / 99231-4457

———————————————————————————————————

Últimas apresentações do Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio, neste sábado (11/11)  às 21h e no domingo (12/11/2017) às 20h30.

Inspirado em livro que instigou os surrealistas, o espetáculo Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio, da Cia. Corpos Nômades, inicia nova temporada no Espaço Cênico O Lugar.

A temporada, que chega com reformulação do espetáculo, também comemora os 10 anos do Espaço Cênico O Lugar, sede da Cia. Corpos Nômades

 

C0001.00_14_19_18.Quadro026                                                                                                                                                 Foto: João Hidalgo

Fundada há 22 anos pelo coreógrafo, bailarino e professor João Andreazzi, um dos pilares da Cia. Corpos Nômades é a construção de performances de dança que dialoguem com outras linguagens criativas, como o teatro, as artes visuais e a literatura – sendo a última eleita para inspirar a criação de Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio. O espetáculo inicia temporada com reformulações desde a primeira versão, de 2009, a partir do dia 30 de setembro, sábado, 21h, com ingressos a R$20. O projeto foi contemplado pelo 20º Programa Municipal de Fomento à Dança da cidade de São Paulo e, para comemoração dos 10 anos de existência do Espaço Cênico O Lugar, a Cia. Corpos Nômades conta com o apoio do O Boticário na Dança através do PROAC-ICMS/Governo do Estado de SP.

Baseado na obra Os Cantos de Maldoror, escrita pelo Conde de Lautréamont – codinome de Isidore Ducasse (1846 – 1870) –, o espetáculo da Cia. Corpos Nômades resgata figuras do livro considerado precursor do movimento surrealista na literatura e as recria a partir dos corpos dos bailarinos. João ressalta trechos em que animais mutantes são expressos no livro, como polvos, tubarões e águias que se formaram a partir de um mesmo corpo. “Há uma forte conexão com o zoomorfismo que faz parte da obra, mas não estamos diretamente ligados na parte descritiva e sim nas sensações que essas imagens causam”, diz João Andreazzi.

Um dos parceiros que colaborou diretamente com o coreógrafo na criação de Hotel Lautréamont é o escritor, poeta e tradutor Claudio Willer, responsável por uma das traduções da obra francesa para o português. “Ele assistiu um trabalho anterior nosso e identificou essas proximidades da dança a um corpo muito presente nas obras surrealistas”, diz o diretor.

Entre diversas referências estéticas que fizeram parte do processo de criação da obra, Andreazzi se diz especialmente contagiado pelo cinema produzido a partir do movimento surrealista e da obra do artista plástico Max Ernst.

Para Andreazzi, a proposta aberta do espetáculo tem o potencial de alcançar o público familiarizado à obra de Ducasse ou ao surrealismo, de forma geral, mas também de dialogar e causar reflexões em quem desconhece a temática.

Sobre Os Cantos de Maldoror

Livro poético escrito entre 1868 e 1869 por Isidore Ducasse sob o pseudônimo Conde de Lautréamont. Poeta francês de origem uruguaia, Ducasse serve de referência para a construção e a elaboração dos momentos cênicos coreografados.

De Marcel Duchamp a Samuel Beckett e de Manoel de Barros a Shakespeare, Andreazzi releu os autores a partir do tratamento específico dado ao corpo por Deleuze e Guattari, propondo encenações múltiplas, plurais. Ao mesmo tempo dança, teatro e música, as elaborações visuais criadas por Andreazzi e apresentadas pela Cia. Corpos Nômades são únicas; criando símbolos em cena, em vez de simbolizar.

O próprio ser mutante protagonista do Conto, Maldoror, dá ignição à criação coreográfica: trata-se de um homem que se recorda de haver vivido durante meio século sob a forma de tubarão, nas correntes submarinas que margeiam as costas da África. Ora jovem, ora de cabelos brancos; aqui moribundo, ali capaz de façanhas atléticas; transformado em águia para combater a esperança, polvo para melhor lutar com Deus, porco em seus sonhos, coisa informe, misturada à natureza, objeto de identidade indefinida.

Trecho do poema: “É um homem ou uma pedra ou uma árvore quem vai começar o quarto canto. Disfarça-se no combate ao bem: Tinha uma faculdade especial para tomar formas irreconhecíveis aos olhos mais treinados”.

 

Ficha Técnica

 

Concepção Geral, Direção e coreodramaturgrafia: João Andreazzi. Elenco: Gervásio Braz, João Andreazzi, Cristiano Bacelar, Rossana Boccia e Vagner Cruz. Textos: Conde de Lautréamont. Assessoria dramatúrgica e tradução da obra do Conde de Lautréamont: Claudio Willer. Adaptações e novos textos: Claudio Willer e Cia. Corpos Nômades. Montagem da Trilha Sonora: Vanderlei Lucentini. Pianista ao vivo: Diogenes Junior. Iluminação: Décio Filho. Figurino: David Schumaker. Produção: Cia. Corpos Nômades. Fotos: Cris Lyra e Lenise Pinheiro. Recomendação etária: 14 anos. Agradecimentos: Bernhard Gal e Arco Duo (trechos da trilha sonora).

Serviço

 

Hotel Lautreamónt – Os Bruscos Buracos do Silêncio

Temporada: De 30 de setembro a 12 de novembro. Sábados, às 21h e domingos, às 20h30

Local: Espaço Cênico O Lugar (Rua Augusta, 325 – Consolação. São Paulo – SP)

Recomendação Etária: 14 anos

Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia). São aceitos cartões de débito e crédito.

Capacidade: 64 lugares

Telefone do local: 3237-3224

Site: www.ciacorposnomades.art.br

Fan Page Facebook: /ciacorposnomades e /espacocenicoolugar

Mais informações sobre a Cia. Corpos Nômades

 

Desde seu lançamento em 1995, a Cia. Corpos Nômades participou de diversos eventos das Artes Cênicas: Com o espetáculo As Últimas Tentações de Santo Antão, a Cia. apresentou-se no Teatro Sérgio Cardoso/SP, no CCSP e no Festival Porto Alegre em Cena de 1995. Com os espetáculos Under One’s Very Eyes e Password:003, cumpriu temporada no Teatro Melkweg em Amsterdã em 1997. Com Shoot in the Hood, co-produção do Teatro Melkweg e Fellowship Phillip Morris, cumpriu temporada no Teatro Melkweg, participou do Festival Nederlandse DansDagen de 1998 em Maastrich (NL) e do evento “Dança em 1º ato” no SESC Pompéia/SP em 1999. Com o espetáculo de OOZE/EZOO (uma co-produção da Bienal da Dança do SESC de 2000, tendo como cenário o Cais de Santos-SP) – que integra elementos das artes cênicas contemporâneas e elementos da cultura Hip-Hop – integrou a programação do Balaio Brasil realizado pelo SESC São Paulo. Em 2001 OOZE/EZOO foi selecionado para a Mostra Oficial do Festival de Curitiba. Em seguida fez uma curta temporada no SESC Pompéia e uma Turnê pelo interior de São Paulo.

Em 2002 a Cia. fez a abertura do evento Outras Danças no SESC Ipiranga/SP com o espetáculo Pôs-Ter. Em 2003, participou do evento Dança no Arena do Centro Cultural São Paulo (CCSP) com Remix-Pôs/Ter. Em 2004 esteve com o espetáculo Hyperbolikós no espaço do Itaú Cultural e no CCSP nas Semanas da Dança. Com a mesma obra, realizou uma turnê pelo interior de São Paulo por algumas unidades do SESC em 2005 e integrou a programação do Panorama SESI de Dança e o evento 4 Movimentos no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro em 2006.

Com o espetáculo solo Nocaute, apresentou-se no CCSP, Fórum Mundial de Cultura no SESC Pompéia e na Mostra de Dança de Santo André em 2004. Com esse mesmo solo também integrou o Panorama SESI de Dança de 2005. Em 2005, com Algum Lugar Fora do Mundo – espetáculo em comemoração aos 5 anos de existência – a Cia. participou da Mostra Internacional SESC de Artes Mediterrâneo, da Virada Cultural da Cidade de São Paulo e das Semanas de Dança CCSP. Em 2006, participou da Caravana Paulista de Teatro. Em 2007 a Cia apresentou uma temporada no O LUGAR. Em 2008 apresentou-se na Caixa Cultural Rj – Teatro Nelson Rodrigues.

Em 2006 apresentou Cenas Corpos Nômades no evento Semanas de Dança – CCSP e na Virada Cultural da Cidade de São Paulo. Em 2007, Gramática Expositiva do Chão teve pré-estréia nos SESCs São José do Rio Preto e Santana, fez temporada no O LUGAR e em 2008 esteve no SESC Sorocaba, SESC Ribeirão Preto e cumpriu temporada no O LUGAR. Em 2007 o espetáculo Fuga Fora do Tempo teve sua estreia no evento Dança em Pauta do CCBB – SP. Esteve em temporada no O LUGAR em 2007 e em 2008. Em 2008 o espetáculo O Barulho Indiscreto da Chuva teve sua estreia e permaneceu em temporada no O LUGAR. Em 2009 houve a estreia do espetáculo Édipus Rex – A Máquina Desejante no Espaço Cênico O LUGAR com patrocínio da Sabesp.

Em 2010 Espectros de Shakespeare – Do Outro Lado do Vento teve sua estreia no SESC Consolação e permaneceu em temporada no O LUGAR. Em 2014 fez turnê pelo interior do estado de SP a convite do SESI – SP. Em 2011 o espetáculo Na Infinita Solidão dessa Hora e desse Lugar teve sua estreia no O Lugar. Temporada em 2012. Em 2012 o espetáculo Uma Sinfonia Entre a Medula Óssea e o Piscar dos Olhos teve sua estreia no O Lugar. Temporada em 2013. Em 2014 o espetáculo Hostel Project teve sua estreia no O Lugar. Participou de uma Mostra no SESC Campinas e do Fórum Internacional de Cultura por cidades de SP. Em 2015 o espetáculo O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne teve sua estreia no O Lugar. Foi apresentado em Recife, no Rio de Janeiro e em Florianópolis em 2016.

 

Prêmios

1995     Prêmio Flávio Rangel da SECSP

1998     Prêmio/Fellowship Phillip Morris, Amsterdã

1998     Revelação Nederlandse DansDagen, Amsterdã

2000     APCA

2002     Funarte – EnCena Brasil

2003     Rumos Itaú Cultural Dança

2004     Prêmio Estímulo à Dança SMCSP

2005     APCA

2006     Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo (2008, 2011, 2012 e 2016)

2007     Funarte Klauss Vianna

2009     Prêmio Estímulo da Secretaria do Estado da Cultura de SP (SABESP)

2010     APCA

2013     Petrobras Cultural

2016     Cena Aberta FUNARTE

2016     O Boticário na Dança

 

Atividades anteriores:

———————————————————

II Mostra Só Solos, promovida pela Cia. Corpos Nômades, recebe nove espetáculos de dança e teatro no Espaço Cênico O LUGAR, que completou  DEZ anos de VIDA!

Com o objetivo de apresentar ao público diversas propostas de criação cênica em teatro e dança, a Mostra também comemora 10 anos da sede da Cia. Corpos Nômades e abre conversa com público sobre processo de criação e o momento artístico atual

Cia. Corpos Nômades e o Espaço Cênico O Lugar recebem entre 15 e 17 de setembro (sexta e sábado, às 21h, e domingo, às 20h), a II Mostra Só Solos, com apresentações de três espetáculos de dança e/ou teatro nas duas primeiras noites e quatro no domingo. A ação faz parte das atividades que marcam 10 anos do Espaço.  A  manutenção da Cia. Corpos Nômades conta com o XX Programa Municipal de Fomento à Dança de São PauloO Boticário na Dança, através do Proac-ICMS, é parceiro para a realização desta segunda edição da mostra.

Espaço Cênico O Lugar, sede da Cia. Corpos Nômades, recebe diversas atividades desde 2007 com o objetivo de proporcionar a artistas e criadores um espaço para difundirem trabalhos e pesquisas nas áreas de dança, teatro, performance e música.

Idealizada por João Andreazzi, diretor da Cia. Corpos Nômades, a Mostra também propõe um encontro entre todos os intérpretes no sábado, 16 de setembro, às 16h, denominado Tea-Time – Lugar em Reflexão. A ideia é que os artistas e público interessado conversem sobre seus processos de criação e sobre o momento artístico de hoje.

Os artistas convidados para a Mostra são Adriana Fortes, Andreia Nhur, Kátia Rozato, Letícia Rodrigues, Luciana Hoppe, Marilyn Nunes e Thiago Sancho. Os intérpretes Gervásio Braz e João Andreazzi, da Cia. Corpos Nômades, mostrarão seus solos afim de trocar experiências com os convidados.

cartazA3-IIMostra-3

Programação Completa

15/09/2017 – Sexta às 21h
Adriana Fortes - “A Curandeira” – 50 minutos. Sala Norte.
Gervásio Braz –  ” Vomain/Mamvoin” –  20 minutos – Sala Sul.
Andreia Nhur - “Mulher Sem Fim”  – 45 minutos – Sala Sul.
 16/09/2017 – Sábado às 21h
Kátia Rozato –  “A Leveza de Um Homem Só” –  15 minutos. Sala Sul
Marilyn Nunes - “As Estrelas” – 55 minutos.  Sala Norte
Thiago Sancho – “Melodia onde o tempo não existe” – 45 minutos . Sala Sul
17/09/2017 – Domingo   às 20h
João Andreazzi - Solo “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne” – 15 minutos. Sala Sul.
Luciana Hope  – “Bestiário” – 35 minutos. Sala Sul.
Leticia Rodrigues – “(De)Composições” – 30 minutos. Sala Norte
  • TEA-TIME – Lugar em reflexão,às 16h do sábado(16/09/2017), com todos os participantes. Momento de troca entre todos (as) os (as) artistas participantes e o public interessado. Uma conversa sobre os processos de criações e sobre o momento artístico atual.

 Mais Detalhes dos espetáculos:

Dia 15 de setembro, sexta-feira, 21h

 

Adriana Fortes – A Curandeira. 50 minutos. Sala Norte.

Uma curandeira oferece poções para o corpo e sabedorias para a alma. Com ajuda de histórias e poemas, a atriz percorre um caminho de recordações num jogo de vivências e sua relação com o mundo compartilhadas com o público. Trata-se de um espetáculo onírico, repleto de delicadeza. Um recordar do sentido da vida, um desabrochar do “ser humano”.

A Confraria das 3 Águas, nasceu em 2001 com um processo de investigação da presença do ator em cena, para dar vida ao espetáculo Fiz Água para Lavar teu Rosto, de Eduardo Ruiz. A Curandeira, de Adriana Fortes, é o segundo espetáculo da Cia e vem circulando por varias cidades de São Paulo, assim como outros estados do Brasil.

 

Ficha técnica

Autoria e atuação: Adriana Fortes Direção: Melani Halpern. Assessoria para Dramaturgia: Reinaldo Maia (in memorian) Cenografia, Figurinos e adereços: Bum Design Trilha sonora original: Gustavo Finkler Iluminação: Miló Martins Tratamento e adereços de figurino: Mônica Nassif Criação da peruca: Maria Sem Vergonha (Ligia e Karla Passos) Consultoria em máscara e gestual: Ésio Magalhães Receitas aromáticas: Juliana Fortes Pesquisa de histórias tradicionais: Giliane Ingratta Estudos simbólicos: Leo Lama Fotografias: Alexandre Diniz Gravação em DVD: Bianca Halpern Idealização, realização e produção: Confraria das Três Águas.

Gervásio Braz – Vomain/Mamvoin. 20 minutos. Sala Sul.

Percurso entre os mundos do mais belo ao mais tenebroso da vida de uma mulher que no inicio é mãe e envelhece pela falta de sua cria que foi perdida no mundo. Solo de dança-teatro, conta a história de uma grande mulher no desespero da vida em busca de sua constante maternidade dilacerada. O cru é posto para fora em um corpo masculino que carrega dentro de si esta memória feminina, busca que está contida em figuras maternas como Bisavó, Avó e Mãe. É um possível encontro com suas ancestrais femininas e outras que estão presentes num imaginário coletivo de seres.

Gervásio Braz é bailarino. Participou de diversos espetáculos, como Eu sinto a terra mover-se…, direção e coreografia de Raimundo Branco, (2007); Desencaminhado, com coreografia de Ivaldo Mendonça (2007); Igual sem Igual, com coreografia de Ivaldo Mendonça (2008/2009); Participou como bailarino do espetáculo Sobre um Paroquiano, com concepção e direção de Raimundo Branco (2009); BE – um experimento coreográfico para quatro corpos quânticos, com concepção e direção de Giordani Gorki (Kiran) (2010), O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne, direção e coreodramaturgrafia de João Andreazzi (2015/2016) e Hotel Lautreamont – os bruscos buracos do silêncio, com direção e coreodramaturgrafia de João Andreazzi (2017).

 

Ficha técnica: Concepção, criação e dramaturgia: Gervásio Braz Orientação: Raimundo Branco e Patrícia Costa Sonoplastia: Korina Kordova.

 

Andreia Nhur – Mulher Sem Fim. 45 minutos. Sala Sul.

Mulher sem fim é uma experiência solo de Andréia Nhur & Katharsis Teatro que transita entre teatro, dança, música, performance e multilinguismo. No trabalho, o gênero-mulher é apresentado a partir de um corpo constantemente trespassado por ecos de mulheres presentes nas memórias da cultura, que vão desde Madame Bovary, Lady Macbeth, Carmen Miranda até Dadá, a cangaceira. Um corpo se transforma em outro, que se transforma em outro que se transforma em outro: mulheres em encadeamento sem fim.

Andréia Nhur é bailarina, atriz (finalista ao Prêmio APCA de melhor atriz em 2015) e pesquisadora. Atua na interface da dança, do teatro e da música, em parceria com seus pais, Janice Vieira (coreógrafa e musicista) e Roberto Gill Camargo (diretor, dramaturgo e iluminador), junto aos coletivos Pró-Posição Dança e Katharsis Teatro. Tem doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e é professora do Departamento de Artes Cênicas da ECA-USP, no campo de estudos do corpo e da voz.

 

Ficha Técnica: Texto, criação e performance: Andréia Nhur Colaboradores: Janice Vieira, Paola Bertolini e  Roberto Gill Camargo Iluminação: Roberto Gill Camargo Produção, fotos e operação de luz: Paola Bertolini Arte Gráfica: André Bertolini.

 

 

Dia 16 de setembro, sábado, 21h

Kátia Rozato – A Leveza de Um Homem Só. 15 minutos. Sala Sul.

Simplicidade, precisão, tensão, intenção, leveza, peso, neutralidade, delicadeza; um corpo com várias possibilidades se formando em imagens únicas e desinformando à todo momento. Sem tempo prévio de cada cena (começo) todo o trabalho é voltado para início e recomeço, algumas coisas se repetem outras tomam outros caminhos; mais o eterno retorno é inevitável.

 

Kátia Rozato, natural de São Paulo (1978), formada em Artes Plásticas pela Academia Brasileira de Artes, pela Associação Internacional de Instrutores de Yoga Ananda Marga e diretora da CAHLO núcleo de dança; iniciou sua carreira como bailarina desde 1998 trabalhando com importantes coreógrafos do cenário da dança contemporânea como os coreógrafos: Sandro Borelli na FAR 15 e Borelli Cia; Maurício de Oliveira na Cia Siameses; João Andreazzi na Cia Corpos Nômades; com os artistas Mirella Brandi e Muep Etmo com o trabalho FFOBIA.

 

Ficha técnica: Direção e intérprete criadora: Kátia Rozato (CAHLO núcleo de dança) Produção e Trilha Sonora: David Mariano 
Foto/assistente de produção: Ligiane Braga.

 

Marilyn Nunes –Estrelas. 55 minutos. Sala Sul

O espetáculo é inspirado na obra A Hora da Estrela, de Clarice Lispector. Detrás do som de máquina de escrever surge uma escritora com um pandeiro.  À beira da morte, ela trabalha em sua última novela, compondo os personagens enquanto os apresenta ao público. Macabéa, uma moça do subúrbio que conhece seu primeiro namorado, Olímpico. Glória, a colega de trabalho que rouba seu namorado, e Madame Carlota, uma cartomante com quem se consulta.

 

Marilyn Clara Nunes é atriz, professora e pesquisadora de teatro. Fundadora do grupo Oposto Teatro Laboratório e colaboradora do Nordisk Teaterlaboratorium, desenvolve desde 2009 um trabalho de investigação no campo da atuação. É mestre em Artes na linha Estética e Poéticas Cênicas, pelo Instituto de Artes da UNESP. Já se apresentou em diversos festivais do Brasil e em outros países, como México, Dinamarca, Colômbia e Índia. Atualmente, é atriz-criadora dos espetáculos Estrelas e O Pesadelo da Borboleta, e da demonstração de trabalho O oposto, dirigidos por Julia Varley (Odin Teatret).

 

Ficha técnica: Diretora: Julia Varley (Odin Teatret)
Atriz: Marilyn Nunes
Texto: Entrevistas e novela de Clarice Lispector Adaptação do texto, cenário e figurino: Julia Varley e Marilyn Nunes
Desenho de luz: Marco Adda
Pesquisa sonora: Marilyn Nunes
Montagem sonora: Jan Ferslev (Odin Teatret) Fotografias: Tommy Bay e Fernando Martinez.

 

 

Thiago Sancho – Melodia Onde o Tempo Não Existe. 45 minutos. Sala Sul.

 

Melodia onde o tempo não existe, surge da observação e contemplação do transeunte. Suas formas e proporções, seus gestos e variações de cores, elementos que revelam tão diversas melodias e dão pistas para possíveis desdobramentos. O trabalho propõe uma reflexão sobre o corpo e a construção dele. Um corpo que ocupa praças e ruas com seus ritmos muito próprios, que parte ao enfrentamento do dia-a-dia, sujeito a atravessamentos inesperados, rotas de fugas e colisões inevitáveis, produzindo uma dança de contratempos, necessidades e suspense.

 

Thiago Sancho, ator, bailarino e coreógrafo, iniciou-se como profissional em 2004 integrando a Cia Muito Franca de Teatro – RJ, dirigida por Bruno Bacelar. Desde então trabalhou com importantes nomes das artes cênicas no Brasil e Europa, como Deborah Colcker, Renato Vieira, João Saldanha, Alex Neural, Nicolas Mourel, Henrique Rodovalho e Claudia Palma. Vem se interessando na discussão e percepção do corpo sensível, sempre atuando na interface da dança com outras linguagens que atravessam, potencializam e ampliam os processos de criação de suas obras. À partir das experiências que teve ao longo de sua carreira, vem desenvolvendo uma metodologia de workshops que integra esse momento de investigação cênica e que compõe um campo fértil de criações, performances e ações educativas que envolvem seu projeto artístico.

 

Ficha Técnica: Criação e Atuação: Thiago Sancho Trilha Sonora: Joaquim Tomé Fotografia: Renato Mangolin e Thiago Lima Preparação Física: Cristiane Dias Figurino: Josines Carvalho Produção: Formas de Voar Produção Cultural.

 

 

Dia 17 de setembro, domingo, 20h

 

João Andreazzi – O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne (solo). 15 minutos. Sala Sul

 

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne (solo) resgata o princípio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artística de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo lugar/foco foi a extinta Favela do Gato – hoje conjunto habitacional do Parque do Gato – e a cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá. O texto O Despovoador, de Samuel Beckett – escrito no final da década de 60 – serve como importante inspiração e provocação para a criação, além de se alinhavar a outras fontes inspiratórias fundamentais, como o retorno aos locais visitados, em 1999, pela Cia. Corpos Nômades – e revisitados em 2014 e 2015, com o intuito de se observar as modificações ocorridas. O criador também utiliza textos de Samuel Beckett como condutores para escolhas de elementos cênicos e elaboração da “coreodramaturgrafia”.

 

O paulistano João Andreazzi iniciou seu trabalho como ator, performer, bailarino e coreógrafo na década de 80. Em 1990, passou a pesquisar o corpo e a dedicar-se ao ensino da Dança. No período de 1996 a 1998, o coreógrafo viveu na Holanda, como bolsista do Ministério da Educação na School for New Dance and Development em Amsterdã, onde criou três coreografias, sendo uma delas selecionada para o Nederlandse DansDag de 1998.  Após retornar, em 1999, desenvolveu o projeto Things – m@loc@/F@vel@ – as Coisas, envolvendo a cultura do Hip-Hop, do samba e dos índios guaranis. Esse contato inicial resultou o projeto “corpos nômades”. Ao término do processo surgiu a Cia. Corpos Nômades com o espetáculo OOZE/EZOO (2000). Seu currículo funde-se ao currículo da Cia. Corpos Nômades, assinando todas as coreografias desde esse período. Como coreógrafo e bailarino, João Andreazzi ganhou diversos prêmios (APCAs, indicação Mambembe, Flávio Rangel, Bolsa da CAPES, Bolsa Vitae para o American Dance Festival, etc.). Como professor de dança contemporânea (criação, improvisação e técnica) vem ensinando desde 1990 em diversos locais.

Ficha Técnica: Concepção e interpretação: João Andreazzi Trilha Sonora: Felipe Julian Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Cenário e Vídeo: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker Designer Gráfico: Juliana Basile Agradecimentos: Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani (Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia Krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria (Favela do Gato), Leticia Mantovani, Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha e Claudio Willer.

 

Luciana Hope – Bestiário. 35 minutos. Sala Sul.

 

Vibração, respiração pelas células, esponja e fluxo interno, pulsação através da água, estrela-do-mar, coluna leve, peixes, anfíbios, lagartos, mamíferos, uma profusão de animais como desdobramento da evolução das espécies contida na evolução humana. O que nos aproxima dos animais? O que nos aproxima do humano? Somos desdobramento da mesma matéria? Partindo da ideia de que somos uma coleção de animais, os bestiários da Idade Média entram para borrar o limite entre o homem e o bicho provocando uma visceralidade ao movimento.

 

Luciana Hoppe é artista e pesquisadora da dança em todas as suas formas. Mestra em Artes da Cena pela Unicamp. Iniciou seu caminho artístico aos 6 anos de idade pelo Ballet Clássico e, mais tarde, migrou ao circo enquanto cursava Psicologia. No ano seguinte, em 2005, iniciou a Graduação em Dança pela UERGS (Universidade Estadual do Rio Grande do sul) e desde então atua profissionalmente como artista dançando com diversos coreógrafos nacionais e internacionais, assim como criando suas próprias obras.

 

Ficha técnica: Coreografia e Direção: Luciana Hoppe Assistência Coreográfica: Silvia Geraldi Trilha Sonora: Haroldo Paraguassú de Souza Iluminação: Juliana Morimoto Figurino: Felipe Longo Fotografia: Natalia Albuquerque Produção executiva: Vanessa Moraes Assistência de produção: Moacir Júnior Romanini.

 

Letícia Rodriges – (De)Composições. 30 minutos. Sala Sul.

Imagina se, você espectador, pudesse alterar, a qualquer momento, a ação vigente? (De)Composições propõe uma ação cênica onde o espectador é provocador ativo da cena: ele provoca, propõe e sugere o ritmo, níveis, tempos e fluências da ação conforme suas necessidades estéticas e pessoais. Em cena, uma bailarina-criadora e um músico terão, além do diálogo entre si, o imprevisto, o efêmero, o acaso e o caos como recursos para a criação artística.

 

Letícia Rodrigues é artista da dança e pesquisadora do movimento, bacharel e licenciada em Dança (UNICAMP), mestra em Educação (UNICAMP). Tem interesse nas poéticas do corpo, improvisação e na criação através da relação entre dança e música ao vivo.

 

Ficha técnica: Dança: Letícia Rodrigues Música ao vivo: Gustavo Infante Provocações: espectadores Fotos: Wrzaratini.

 

Serviço

II Mostra Só Solos

Dia 15 de setembro, sexta-feira, 21h

Adriana Fortes – A Curandeira / Gervásio Braz – Vomain/Mamvoin / Andreia Nhur – Mulher Sem Fim. Duração total: 115 minutos.

Dia 16 de setembro, sábado, 21h

Kátia Rozato – A Leveza de Um Homem Só / Marilyn Nunes – Estrelas / Thiago Sancho – Melodia Onde o Tempo Não Existe. Duração total: 115 minutos

Dia 17 de setembro, domingo, 20h

João Andreazzi – O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne / Luciana Hope – Bestiário / Leticia Rodrigues – (De)Composições . Duração total: 85 minutos.

 

Local: Espaço Cênico O Lugar. Endereço: Rua Augusta, 325. São Paulo – SP.

Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia).

Classificação etária: 14 anos.

Capacidade (Sala Sul): 64 lugares

Capacidade (Sala Norte): 64 lugares

Reservas: Telefone (011) 32373224 ou e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

Mais detalheswww.ciacorposnomades.art.br

Assessoria de Imprensa: Ensaio Comunicação

COMEMORAÇÃO de 10 ANOS do ESPAÇO CÊNICO O LUGAR –  2017. Com diversas ações: Grupo de Estudos Práticos, Residências Artísticas, Mostras e P-Lugar.  Para algumas destas atividades, conta-se com  “O Boticário na Dança” e  “XX Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo”.

 

 

LAB CRIAÇÃO 

Grupo de Estudos Práticos da Corpos Nômades  2017

e-flyer_LAB2017-4

Grupo de estudos práticos que irá acompanhar a pesquisa para a nova montagem do “Projeto Cidade Surrealista – Corpo Patafísico Faustrólico em uma pintura Metafísica” e o trabalho de João Andreazzi junto à Cia. Corpos Nômades. Estudo sobre a coreodramaturgrafia.

Duração: 3 meses; de três a cinco vezes por semana.

Número de vagas: 06

Período: setembro, outubro e novembro de 2017. Todas as segundas, quartas e sextas das 18hs às 22hs (quando houver temporada da Cia. será às quartas quintas e sextas).

Público alvo: Intérpretes da dança e do teatro com forte vivência corporal.

Inscrições até 10/08/2017 – enviar Currículo resumido, vídeo do trabalho corporal e carta de interesse. Ocorrerá um encontro para a escolha dos participantes. Haverá uma ajuda de custo de R$ 300,00 mensais para cada participante.

e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

assunto: Grupo de estudos práticos da Cia. Corpos Nômades.

Mais informações: www.ciacorposnomades.art.br

O intuito deste Grupo é o de acessar artistas interessados em participar do projeto da Cia. Corpos Nômades que resultará em uma nova montagem e espetáculo de repertório, resultando em um livro/diário de bordo sobre a pesquisa realizada nos últimos anos por João Andreazzi junto à Cia. Corpos Nômades no Espaço Cênico O LUGAR.

LUGARIZAÇÃO 2017 

e-flyer_lugarizacao copy

Inscrições ABERTAS – RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS 

Esta edição das Residências Coreográficas conecta-se com os 10 anos de Existência em Arte do Espaço Cênico O LUGAR, sede da Cia. Corpos Nômades. O norte para as escolhas dos projetos inscritos serão os que tenham temas conectados com a fusão de linguagens da dança, teatro, música, performance arte, arte popular, com temas sócio – políticos – culturais, mesclando no corpo diferentes maneiras e modos de cultuar o movimento.

Estão abertas até 18 de agosto de 2017 as inscrições para o LUGARIZAÇÃO: programa de residência artística no Espaço Cênico O LUGAR, sede da Cia Corpos Nômades, que tem por finalidade proporcionar um espaço onde os artistas possam desenvolver seus trabalhos de pesquisa e experimentação em dança contemporânea. O LUGARIZAÇÃO é destinado apenas a trabalhos individuais em processo, inéditos ou em re-elaboração.

O programa fornecerá a estrutura física do Espaço Cênico O Lugar (sala de ensaio, espaço para reunião e para guardar material). Ao final de três meses de trabalho, os resultados serão apresentados na X Mostra Lugar Nômade de Dança dentro do “Sessão Meia-Noite Olho Neles” e na MOSTRA GRÁTIS LUGARIZAÇÃO – 2017. Ajuda de custo de R$800,00 por mês para cada artista, durante 2 meses.

A nova edição do LUGARIZAÇÃO permitirá a residência de, no mínimo, três artistas no período de setembro e outubro de 2017 (esta data poderá ser alterada conforme a data da X Mostra Lugar Nômade de Dança).

INSCRIÇÃO

As inscrições deverão ser feitas até o dia 18 de agosto de 2017, enviando a proposta de pesquisa/criação com no máximo duas páginas, currículo e vídeos de trabalhos anteriores gravados em CD ou DVD ou os links dos vídeos em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo. Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000; ou para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com, com o assunto: Lugarização 2017. Mais detalhes pelo telefone (11)3237-3224 e no site: www.ciacorposnomades.art.br

 

II MOSTRA DE DANÇA E TEATRO SÓ SOLOS – 2017

IIMostra

A Cia. Corpos Nômades irá compartilhar sua sede, o “Espaço Cênico O LUGAR”, com artistas experimentais do teatro, música e dança, através das ações: LUGARIZAÇÃO, SÓ SOLOS EM AGOSTO, P-LUGAR, MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA e SESSÃO MEIA-NOITE OLHO NELES. O intuito destas atividades é o de possibilitar aos artistas experimentadores e, principalmente, aos artistas que não possuem nenhum tipo de apoio (edital ou patrocínio) e que não possuem espaço para ensaio e/ou difusão de seus espetáculos.

Importante mencionar que a Companhia Corpos Nômades conta com o suporte, para algumas ações, do Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo e do Boticário na Dança, através do PROAC-ICMS.

Para cada uma destas ações será proposto um formato específico:

Será a segunda edição da Mostra Dança e Teatro SÓ SOLOS, direcionada aos criadores e performers da dança e do teatro que desejam mostrar seus espetáculos, inéditos ou não. Acontecerão duas programações, uma para cada final de semana. Serão apresentados cerca de três espetáculos por semana, durante as duas últimas semanas de agosto de 2017 (a data poderá ser alterada conforme as necessidades).

Os trabalhos poderão ter no máximo 50 minutos de duração. Os artistas convidados poderão ter alguns dias de ensaio durante o mês de agosto. A montagem ocorrerá na quinta-feira anterior à apresentação. O espaço fornecerá equipamento de luz, som, divulgação, material gráfico e um técnico para acompanhar as montagens. Cada artista deverá ter o seu próprio operador de luz e som.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 23 de julho de 2017. Enviar proposta de pesquisa/criação de no máximo duas páginas, currículo e vídeos de trabalhos anteriores gravados em CD ou DVD ou os links dos vídeos em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo. Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com. Assunto: “Mostra de Dança e Teatro SÓ SOLOS – 2017”. Mais informações pelo telefone (11)3237-3224 e no site: www.ciacorposnomades.art.br

Para as ações que envolvam apresentações serão cobrados ingressos de R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia) e 75% do valor total da bilheteria será dividido entre os artistas envolvidos. Cada artista poderá deixar seu material à venda na bilheteria, como: cd, dvd, livro, camisetas,etc. Os artistas contarão com uma ajuda de custo de R$ 500,00.

P-LUGAR – MÚSICA

cartaz-PLugar 

P-LUGAR 2017 – Atividades de Músicas Experimentais Eletrônicas ou Acústicas. Durante o mês de setembro de 2017 no Espaço Cênico O LUGAR (Sala Norte). A Cia. Corpos Nômades retomou o evento P-LUGAR, concebido em 2007, no ano de 2016. Acontecerão concertos de músicos, DJs, VJs, experimentadores(as) de música, sons e outros sentidos.

O espaço fornecerá equipamento de luz, som, divulgação, assessoria de imprensa, material gráfico e um técnico para acompanhar as montagens. Cada artista deverá ter o seu próprio operador de luz e som.

Os interessados deverão enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com, com o material (descrição de carreira, áudio e vídeo do trabalho). Assunto: P-LUGAR 2017. Inscrições até 28 de julho de 2017. 

P.s:Cada artista poderá deixar seu material à venda na bilheteria, como: cd, dvd, livro, camisetas,etc. Os artistas contarão com uma ajuda de custo de R$500,00.

X MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA # EDIÇÃO 2017

e-flyer_VIIIMostra

Temos o prazer de convidar a todos os interessados a se inscreverem para a “X Mostra Lugar Nômade de Dança” – edição 2017. Como é de praxe, o Espaço Cênico O Lugar, sede da Cia. Corpos Nômades, abre suas portas para que experimentadores e investigadores da dança contemporânea dividam seus trabalhos com outros artistas e com o público em geral. A ideia da Mostra é possibilitar um espaço para a apresentação dos trabalhos, compartilhamento das pesquisas e processos criativos, discussão e reflexão das questões artísticas.

“X Mostra Lugar Nômade de Dança” acontecerá nas duas últimas semanas de outubro ou novembro de 2017 (de sexta a domingo), com cerca de três espetáculos durante cada final de semana, sendo cada semana uma programação (caso seja necessário a data da Mostra poderá ser alterada).

Dentro da programação da “X Mostra Lugar Nômade de Dança”, teremos a “Sessão Meia-Noite Olho Neles” que acontecerá nos (sábados) às 24h, com 3 ou 4 espetáculos por noite. Essas sessões serão dedicadas aos novos artistas, grupos recém-formados, coreógrafos em começo de carreira, trabalhos de conclusão de curso e/ou ainda formandos das universidades de dança.

Teremos também o “Tea-Time O LUGAR EM REFLEXÃO” nos sábados às 16hs, para discussão e reflexão sobre os trabalhos da Mostra, numa conversa aberta ao público.

Os grupos e artistas convidados contarão com cache:

  • Para apenas 1 apresentação na Sessão Meia-Noite Olho Neles, entre R$1.000,00 e R$1.500,00.
  • Para 3 apresentações na Mostra Lugar Nômade de Dança, entre R$2.500,00 e R$4.500,00, conforme o número de intérpretes.

 Aos espetáculos convidados será solicitado que não seja programada apresentações em outro Teatro ou Festival,  que esteja localizado nas proximidades do Espaço Cênico O LUGAR – São Paulo-SP,  durante o mesmo mês da data da Mostra. Caso ocorra, poderá (ão) ser canceladas a(s) apresentação(ões).

As inscrições deverão ser feitas até o dia 29 de setembro de 2017, enviando o material abaixo:

-Preencher ficha de inscrição (fazer download no site), contendo:
sinopse, release de no máximo cinco linhas, tempo de duração do espetáculo (de 25 a 45 minutos), histórico de apresentações do espetáculo, currículo do artista/companhia (material em Word);

-Vídeo do espetáculo gravado em CD ou DVD ou o link do vídeo em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo, na íntegra;

- 3 fotos (em alta resolução: 300 DPIs);

Ficha-de-Inscrição-X-Mostra-Lugar-Nômade-de-Dança-2017

Obs.: Especificar na ficha de inscrição se o espetáculo é para “X Mostra Lugar Nômade de Dança” ou para a “Sessão Meia-Noite Olho Neles”.   Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: mostralugarnomadededanca@gmail.com. Assunto X Mostra Lugar Nômade de Dança. Mais Detalhes pelo telefone 55 11 3237-3224 ou por e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

 

2017 10 anos o lugar

Espaço Cênico O LUGAR

10 anos de eXistência!

10 anos de eXperimentos ! 

O LUGAR é terreno fértil para quem investiga forma e cria.

O LUGAR é espaço aberto a artistas cênicos que realizam no corpo o que pensam, originam novos experimentos e estão atentos a diversas maneiras e possibilidades de ocupar a cena.

O LUGAR apresenta um espaço para as inteligências múltiplas onde abrigará os conceitos e as práticas do fazer corporal.

O LUGAR sedia a Cia. Corpos Nômades que, com toda sua inquietação e inconformismo, gera criações inspiradas em Beckett, Artaud, Baudelaire, Mallarmé, Rimbaud, Cocteau, Leminski, Conde de Lautréamont, Koltès e Manoel de Barros.

O LUGAR surge graças à verba pública (I Programa Municipal de Fomento à Dança lei 4.071/2005), e fará jus a ela, ampliando o acesso do público às criações e produções em artes cênicas contemporâneas.

O LUGAR aberto!

O LUGAR foi inaugurado no dia 05/05/2007.

IMG_3926

—————————————————————————————————————-

ATIVIDADES ANTERIORES

“Hotel Lautréamont – OS BRUSCOS BURACOS DO SILÊNCIO”

DSCF3000                                                                                                                                               foto Lenise Pinheiro 

Espetáculo da Cia. Corpos Nômades é inspirado na obra de Isidore Ducasse, Conde de Lautréamont, considerado o precursor do Surrealismo na literatura.

Dia 12 de Maio de 2017 estreia a remontagem do espetáculo ‘Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio’ (2009), com coreografia e direção de João Andreazzi. A temporada inicia o projeto que comemora 10 anos de existência da sede da companhia – o Espaço Cênico O Lugar, na Rua Augusta 325. O projeto foi contemplado pelo 20º Programa Municipal de Fomento à Dança da cidade de São Paulo e para comemoração dos 10 anos de existência do Espaço Cênico O LUGAR a Cia. Corpos Nômades conta com o apoio do O BOTICÁRIO NA DANÇA, através do PROAC-ICMS/Governo do Estado de SP.

‘Os Cantos de Maldoror’

Livro poético escrito entre 1868 e 1869 por Isidore Ducasse sob o pseudônimo Conde de Lautréamont. Poeta francês de origem uruguaia, Ducasse serve de referência para a construção e a elaboração dos momentos cênicos coreografados.

Como diretor e coreógrafo residente da Cia. Corpos Nômades, Andreazzi gerou um amplo espectro de encenações. De Marcel Duchamp a Samuel Beckett e de Manoel de Barros a Shakespeare, todos relidos a partir do tratamento específico dado ao corpo por Deleuze e Guattari, ele propõe encenações múltiplas, plurais. Ao mesmo tempo dança, teatro e música, as elaborações visuais criadas por Andreazzi e apresentadas pela Cia. Corpos Nômades são únicas; criando símbolos em cena, ao invés de simbolizar.

O próprio ser mutante protagonista do Conto, Maldoror, é um afrodisíaco para a criação coreográfica, um homem que se recorda de haver vivido durante meio século sob a forma de tubarão, nas correntes submarinas que margeiam as costas da África. Ora jovem, ora de cabelos brancos; aqui moribundo, ali capaz de façanhas atléticas; transformado em águia para combater a esperança, polvo para melhor lutar com Deus, porco em seus sonhos, coisa informe, misturada à natureza, objeto de identidade indefinida.

Trecho do poema: “É um homem ou uma pedra ou uma árvore quem vai começar o quarto canto. Disfarça-se no combate ao bem: Tinha uma faculdade especial para tomar formas irreconhecíveis aos olhos mais treinados”. Esses elementos são extremamente férteis para a construção cênica coreográfica.

PALESTRA: “A Poesia Selvagem de os Cantos de Maldoror de Lautréamont”,  com Claudio Willer, no dia 20/05/2017 sábado das 18h às 20h. Evento gratuito. No Espaço Cênico O LUGAR – Sala Sul. Inscrições até dia 19/05, pelo e-mail: ciacorposnomades@gmail.com, encaminhando carta de interesse e escrever no assunto (Palestra Lautréamont).

Ficha Técnica

Concepção Geral, Direção e coreodramaturgrafia: João Andreazzi

Elenco: Gervásio Braz, João Andreazzi, Korina Kordova, Rossana Boccia e Vagner Cruz

Textos: Conde de Lautréamont

Assessoria dramatúrgica e tradução da obra do Conde de Lautréamont: Claudio Willer

Adaptações e novos textos: Claudio Willer e Cia. Corpos Nômades

Montagem Trilha Sonora: Vanderlei Lucentini

Pianista ao vivo: Diogenes Junior

Iluminação: Décio Filho

Figurino: David Schumaker

Produção: Cia. Corpos Nômades

Recomendação etária: 14 anos

Agradecimentos: Bernhard Gal e Arco Duo (trechos da trilha sonora)

Serviço
“Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio”
Estreia 12 de Maio de 2017, temporada segue até 09/07/2017.
Sextas e sábados 21h, Domingos 20h30
Recomendação: 14 anos
Lotação: 64 lugares
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (Meia)
Espaço Cênico O LUGAR – CIA. CORPOS NÔMADES
Rua Augusta, 325
São Paulo – SP
tel. 011-32373224
www.ciacorposnomades.art.br

 

 DSCF2932          DSCF2931                                                             fotos Lenise Pinheiro  

e-flyer-Hotel_Lautreamont

Cia. Corpos Nômades / João Andreazzi

Desde seu lançamento em 1995, a Cia. Corpos Nômades participou de diversos eventos das Artes Cênicas:

Com o espetáculo As Últimas Tentações de Santo Antão, a Cia. apresentou-se no Teatro Sérgio Cardoso/SP, no CCSP e no Festival Porto Alegre em Cena de 1995. Com os espetáculos Under One’s Very Eyes e Password:003, cumpriu temporada no Teatro Melkweg em Amsterdã em 1997. Com Shoot in the Hood, co-produção do Teatro Melkweg e Fellowship Phillip Morris, cumpriu temporada no Teatro Melkweg, participou do Festival Nederlandse DansDagen de 1998 em Maastrich (NL) e do evento “Dança em 1º ato” no SESC Pompéia/SP em 1999.

Com o espetáculo de OOZE/EZOO (uma co-produção da Bienal da Dança do SESC de 2000, tendo como cenário o Cais de Santos-SP) – que integra elementos das artes cênicas contemporâneas e elementos da cultura Hip-Hop – integrou a programação do Balaio Brasil realizado pelo SESC São Paulo. Em 2001 OOZE/EZOO foi selecionado para a Mostra Oficial do Festival de Curitiba. Em seguida fez uma curta temporada no SESC Pompéia e uma Turnê pelo interior de São Paulo.

Em 2002 a Cia. fez a abertura do evento Outras Danças no SESC Ipiranga/SP com o espetáculo Pôs-Ter.

Em 2003 participou do evento Dança no Arena do Centro Cultural São Paulo (CCSP) com Remix-Pôs/Ter.

Em 2004 esteve com o espetáculo Hyperbolikós no espaço do Itaú Cultural e no CCSP nas Semanas da Dança. Com a mesma obra, realizou uma turnê pelo interior de São Paulo por algumas unidades do SESC em 2005 e integrou a programação do Panorama SESI de Dança e o evento 4 Movimentos no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro em 2006.

Com o espetáculo solo Nocaute, apresentou-se no CCSP, Fórum Mundial de Cultura no SESC Pompéia e na Mostra de Dança de Santo André em 2004. Com esse mesmo solo também integrou o Panorama SESI de Dança de 2005.

Em 2005, com Algum Lugar Fora do Mundo – espetáculo em comemoração aos 5 anos de existência – a Cia. participou da Mostra Internacional SESC de Artes Mediterrâneo, da Virada Cultural da Cidade de São Paulo e das Semanas de Dança CCSP. Em 2006, participou da Caravana Paulista de Teatro. Em 2007 a Cia apresentou uma temporada no O LUGAR. Em 2008 apresentou-se na Caixa Cultural Rj – Teatro Nelson Rodrigues.

Em 2006 apresentou Cenas Corpos Nômades no evento Semanas de Dança – CCSP e na Virada Cultural da Cidade de São Paulo.

Em 2007, Gramática Expositiva do Chão teve pré-estréia nos SESCs São José do Rio Preto e Santana, fez temporada no O LUGAR e em 2008 esteve no SESC Sorocaba, SESC Ribeirão Preto e cumpriu temporada no O LUGAR.

Em 2007 o espetáculo Fuga Fora do Tempo teve sua estreia no evento Dança em Pauta do CCBB – SP. Esteve em temporada no O LUGAR em 2007 e em 2008.

Em 2008 o espetáculo O Barulho Indiscreto da Chuva teve sua estreia e permaneceu em temporada no O LUGAR.

Em 2009 houve a estreia do espetáculo Édipus Rex – A Máquina Desejante no Espaço Cênico O LUGAR com patrocínio da Sabesp.

Em 2010 Espectros de Shakespeare – Do Outro Lado do Vento teve sua estreia no SESC Consolação e permaneceu em temporada no O LUGAR. Em 2014 fez turnê pelo interior do estado de SP a convite do SESI – SP.

Em 2011 o espetáculo Na Infinita Solidão dessa Hora e desse Lugar teve sua estreia no O Lugar. Temporada em 2012.

Em 2012 o espetáculo Uma Sinfonia Entre a Medula Óssea e o Piscar dos Olhos teve sua estreia no O Lugar. Temporada em 2013.

Em 2014 o espetáculo Hostel Project teve sua estreia no O Lugar. Participou de uma Mostra no SESC Campinas e do Fórum Internacional de Cultura por cidades de SP.

Em 2015 o espetáculo O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne teve sua estreia no O Lugar. Foi apresentado em Recife, no Rio de Janeiro e em Florianópolis em 2016.

Prêmios
1995    Prêmio Flávio Rangel da SECSP
1998    Prêmio/Fellowship Phillip Morris, Amsterdã
1998    Revelação Nederlandse DansDagen, Amsterdã
2000    APCA
2002    Funarte – EnCena Brasil
2003    Rumos Itaú Cultural Dança
2004    Prêmio Estímulo à Dança SMCSP
2005    APCA
2006    Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo (2008, 2011, 2012 e 2016)
2007    Funarte Klauss Vianna
2009    Prêmio Estímulo da Secretaria do Estado da Cultura de SP (SABESP)
2010    APCA
2013    Petrobras Cultural
2016    Cena Aberta FUNARTE
2016    O Boticário na Dança.
Informações para imprensa:
CIA. CORPOS NÔMADES
(11) 32373224/ 992314457
www.ciacorposnomades.art.br
fanpage facebook @ciacorposnomades @espacocenicoolugar

HOTEL-281

 

HOTEL-213

fotos Cris Lyra

Sobre ‘Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio’ 

por João Andreazzi

O Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio inspira-se na crueldade da espécie humana, em relação à própria humanidade e ao ato de esconder ou silenciar seus desejos de maneiras estranhas e inquietas. Os corpos dos intérpretes “zoomorfizam-se” e “zoofiliam-se”, como os personagens criados nos Cantos de Maldoror, exalando um surrealismo cênico, de onde brotam as conexões e as digladiações do corpo e da fronteira com o dito subconsciente.

A corporeidade e a vocalidade da Cia. Corpos Nômades prestam para alargar o conceito de coreodramaturgrafia; a coreografia e a dramaturgia utilizam-se dos corpos dos intérpretes para orquestrarem e ressoarem toda a poética “lautreamonica”. A criação do espetáculo foi instigada e alimentada pelo tradutor das obras do Conde de Lautréamont, o poeta e ensaísta Claudio Willer. Este foi um encontro de inteligências malditas abençoando todo o processo investigativo. Este procedimento, como foi o caso da parceria com a dramaturga Marici Salomão na a criação do espetáculo O Barulho Indiscreto da Chuva, dá continuidade à investigação cênica, avançando na interação do corpo com o espaço total – com o que fica abaixo da pele e com o que se estende além dela.

Sobre ‘Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio’

por Claudio Willer

‘João Andreazzi e a Cia. Corpos Nômades se inspiram na obra de Isidore Ducasse, que adotou o pseudônimo de Conde de Lautréamont para escrever Os Cantos de Maldoror, nascido no Uruguai, morreu desconhecido, misteriosamente, em Paris aos 24 anos, em 1870. Além de ser um ousado exercício da liberdade de criação é um ataque ao “corpus”, não só literário, porém de todos os campos do conhecimento, e dos valores e ideologia que os sustentam, para atingir a idéia do bem e, por extensão, qualquer positividade; principalmente, para atacar a lógica do discurso, a razão cartesiana.

Essas qualidades de Os Cantos de Maldoror foram perfeitamente assimiladas por João Andreazzi e seus colaboradores da Cia. Corpos Nômades. No lugar de uma impossível transposição literal das narrativas de Lautréamont, Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio é uma montagem de fragmentos, detalhes sugestivos, impressões provocadas por passagens do texto; por sua gama de sugestões visuais e sonoras; e, especialmente, corporais. Os Cantos de Maldoror pode ser lido como apresentação do mundo onde tudo pode ser outra coisa; uma epopeia da metamorfose; especialmente, da transformação dos corpos. Daí seu bestiário, que tanto impressionou surrealistas: o homem-peixe, o piolho gigante, os adolescentes-tarântula, dragões, a bruxa transformada em bola de esterco, o escaravelho gigante, o homem com cabeça de pelicano, o arcanjo-caranguejo, o Deus-rinoceronte. Essas transformações simbolizam a liberdade absoluta, através da capacidade de ultrapassar as barreiras do corpo físico. Por isso, é mutante também o protagonista, o próprio Maldoror, ora jovem, ora de cabelos brancos, transformado em águia para combater a esperança, polvo para lutar com Deus, porco em seu sonho da felicidade perfeita, coisa informe, misturada à natureza, objeto de identidade indefinida.

Essa temática da metamorfose como que pede a transposição para o espaço cênico através de falas, de sugestões visuais e sonoras, e principalmente pela dança e expressão corporal, na qual os integrantes da Cia. Corpos Nômades, de modo perfeitamente coerente com o nome e os propósitos desse grupo, vão se metamorfoseando diante do público, criando, por sua vez, novos corpos; ou os mesmos, corpos, porém multiplicando suas possibilidades expressivas.

Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio é uma criação que se processa através de ressonâncias, de inconsciente para inconsciente, de sensibilidade para sensibilidade, passando dos trechos e conteúdos da obra de Lautréamont – especialmente a experiência de sentir-se um estranho no mundo, um hóspede neste nosso insólito “hotel” terreno – para os espaços cênicos, e destes para o espectador, assim convidando-o à recriação, à cumplicidade e participação. É um convite ao público, para que este mobilize sua imaginação, e se torne co-autor dessa obra em processo, em permanente movimento- simbolizado pela imagem da ratoeira perpétua – que o autor de Os Cantos de Maldoror pôs em marcha.

Algumas opiniões e manifestações sobre Lautréamont:

A história da poesia moderna é a de um descomedimento. (…) O astro negro de Lautréamont preside o destino de nossos maiores poetas.

Octavio Paz.

Os Cantos de Maldoror e Poesias brilham com um fulgor incomparável: são a expressão de uma revelação total, que parece exceder as possibilidades humana. Com ele, o famoso “tudo é permitido” de Nietzsche não permaneceu platônico, pretendendo significar que a melhor regra aplicável ao espírito ainda é a orgia.

André Breton.

Ele era, sem dúvida, um gênio irredutível para o mundo, e não mais desejável para o mundo do que Edgar Poe, Baudelaire, Gérard de Nerval ou Arthur Rimbaud.

Antonin Artaud.

—————————————-

 2017

 Espaço Cênico O LUGAR

10 anos de eXistência!

10 anos de eXperimentos ! 

O LUGAR é terreno fértil para quem investiga forma e cria.

O LUGAR é espaço aberto a artistas cênicos que realizam no corpo o que pensam, originam novos experimentos e estão atentos a diversas maneiras e possibilidades de ocupar a cena.

O LUGAR apresenta um espaço para as inteligências múltiplas onde abrigará os conceitos e as práticas do fazer corporal.

O LUGAR sedia a Cia. Corpos Nômades que, com toda sua inquietação e inconformismo, gera criações inspiradas em Beckett, Artaud, Baudelaire, Mallarmé, Rimbaud, Cocteau, Leminski, Conde de Lautréamont, Koltès e Manoel de Barros.

O LUGAR surge graças à verba pública (I Programa Municipal de Fomento à Dança lei 4.071/2005), e fará jus a ela, ampliando o acesso do público às criações e produções em artes cênicas contemporâneas.

O LUGAR aberto!

O LUGAR foi inaugurado no dia 05/05/2007.

IMG_3926

COMEMORAÇÃO DE 10 ANOS DO ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – 05 de maio de 2017 – às 23h. “FESTA LUGAR CORPOS MISTURA FINA EM MOVIMENTO”seguindo com temporadas, Mostras e nova montagem. Para algumas destas ações, contamos com  “O Boticário na Dança” e  “XX Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo”.

1- TEMPORADAS DE REPERTÓRIO da Cia. Corpos Nômades

  • Temporada de repertório da Cia. Corpos Nômades com o espetáculo “HOTEL LAUTRÉAMONT – OS BRUSCOS BURACOS DO SILÊNCIO” – MAIO E JUNHO/2017. Sexta e sábado às 21hs e domingo às 20hs. No Espaço Cênico O LUGAR, Rua Augusta, 325. Ingressos a preços populares.   Ocorrerá uma palestra com o tradutor dos Cantos de Maldoror – de autoria do Conde de Lautréamont – Claudio Willer.
  • Temporada de repertório da Cia. Corpos Nômades com o espetáculo “O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE” – Setembro e outubro/2017. Sexta e sábado às 21hs e domingo às 20hs. No Espaço Cênico O LUGAR, Rua Augusta, 325.

2- Grupo de Estudos Práticos da Corpos Nômades – 2017

Grupo de estudos práticos que irá acompanhar a pesquisa para a nova montagem do “Projeto Cidade Surrealista – Corpo Patafísico Faustrólico em uma pintura Metafísica” e o trabalho de João Andreazzi junto à Cia. Corpos Nômades. Estudo sobre a coreodramaturgrafia.

Duração: 3 meses; de três a cinco vezes por semana.

Número de vagas: 06

Período: setembro, outubro e novembro de 2017. Todas as segundas, quartas e sextas das 18hs às 22hs (quando houver temporada da Cia. será às quartas quintas e sextas).

Público alvo: Intérpretes da dança e do teatro com forte vivência corporal.

Inscrições até 10/08/2017 – enviar Currículo resumido, vídeo do trabalho corporal e carta de interesse. Ocorrerá um encontro para a escolha dos participantes. Haverá uma ajuda de custo de R$ 300,00 mensais para cada participante.

e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

assunto: Grupo de estudos práticos da Cia. Corpos Nômades.

Mais informações: www.ciacorposnomades.art.br

O intuito deste Grupo é o de acessar artistas interessados em participar do projeto da Cia. Corpos Nômades que resultará em uma nova montagem e espetáculo de repertório, resultando em um livro/diário de bordo sobre a pesquisa realizada nos últimos anos por João Andreazzi junto à Cia. Corpos Nômades no Espaço Cênico O LUGAR.

 

3- LUGARIZAÇÃO 2017 – Inscrições ABERTAS – RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS 

Esta edição das Residências Coreográficas conecta-se com os 10 anos de Existência em Arte do Espaço Cênico O LUGAR, sede da Cia. Corpos Nômades. O norte para as escolhas dos projetos inscritos serão os que tenham temas conectados com a fusão de linguagens da dança, teatro, música, performance arte, arte popular, com temas sócio – políticos – culturais, mesclando no corpo diferentes maneiras e modos de cultuar o movimento.

Estão abertas até 18 de agosto de 2017 as inscrições para o LUGARIZAÇÃO: programa de residência artística no Espaço Cênico O LUGAR, sede da Cia Corpos Nômades, que tem por finalidade proporcionar um espaço onde os artistas possam desenvolver seus trabalhos de pesquisa e experimentação em dança contemporânea. O LUGARIZAÇÃO é destinado apenas a trabalhos individuais em processo, inéditos ou em re-elaboração.

O programa fornecerá a estrutura física do Espaço Cênico O Lugar (sala de ensaio, espaço para reunião e para guardar material). Ao final de três meses de trabalho, os resultados serão apresentados na X Mostra Lugar Nômade de Dança dentro do “Sessão Meia-Noite Olho Neles” e na MOSTRA GRÁTIS LUGARIZAÇÃO – 2017. Ajuda de custo de R$800,00 por mês para cada artista, durante 2 meses.

A nova edição do LUGARIZAÇÃO permitirá a residência de, no mínimo, três artistas no período de setembro e outubro de 2017 (esta data poderá ser alterada conforme a data da X Mostra Lugar Nômade de Dança).

INSCRIÇÃO

As inscrições deverão ser feitas até o dia 18 de agosto de 2017, enviando a proposta de pesquisa/criação com no máximo duas páginas, currículo e vídeos de trabalhos anteriores gravados em CD ou DVD ou os links dos vídeos em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo. Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000; ou para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com, com o assunto: Lugarização 2017. Mais detalhes pelo telefone (11)3237-3224 e no site: www.ciacorposnomades.art.br

 

4 - II MOSTRA DE DANÇA E TEATRO SÓ SOLOS – 2017

A Cia. Corpos Nômades irá compartilhar sua sede, o “Espaço Cênico O LUGAR”, com artistas experimentais do teatro, música e dança, através das ações: LUGARIZAÇÃO, SÓ SOLOS EM AGOSTO, P-LUGAR, MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA e SESSÃO MEIA-NOITE OLHO NELES. O intuito destas atividades é o de possibilitar aos artistas experimentadores e, principalmente, aos artistas que não possuem nenhum tipo de apoio (edital ou patrocínio) e que não possuem espaço para ensaio e/ou difusão de seus espetáculos.

Importante mencionar que a Companhia Corpos Nômades conta com o suporte, para algumas ações, do Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo e do Boticário na Dança.

Para cada uma destas ações será proposto um formato específico:

Será a segunda edição da Mostra Dança e Teatro SÓ SOLOS, direcionada aos criadores e performers da dança e do teatro que desejam mostrar seus espetáculos, inéditos ou não. Acontecerão duas programações, uma para cada final de semana. Serão apresentados cerca de três espetáculos por semana, durante as duas últimas semanas de agosto de 2017 (a data poderá ser alterada conforme as necessidades).

Os trabalhos poderão ter no máximo 50 minutos de duração. Os artistas convidados poderão ter alguns dias de ensaio durante o mês de agosto. A montagem ocorrerá na quinta-feira anterior à apresentação. O espaço fornecerá equipamento de luz, som, divulgação, material gráfico e um técnico para acompanhar as montagens. Cada artista deverá ter o seu próprio operador de luz e som.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 23 de julho de 2017. Enviar proposta de pesquisa/criação de no máximo duas páginas, currículo e vídeos de trabalhos anteriores gravados em CD ou DVD ou os links dos vídeos em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo. Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com. Assunto: “Mostra de Dança e Teatro SÓ SOLOS – 2017”. Mais informações pelo telefone (11)3237-3224 e no site: www.ciacorposnomades.art.br

Para as ações que envolvam apresentações serão cobrados ingressos de R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia) e 75% do valor total da bilheteria será dividido entre os artistas envolvidos. Cada artista poderá deixar seu material à venda na bilheteria, como: cd, dvd, livro, camisetas,etc. Os artistas contarão com uma ajuda de custo de R$ 500,00.

5-   P-LUGAR – MÚSICA

P-LUGAR 2017 – Atividades de Músicas Experimentais Eletrônicas ou Acústicas. Durante o mês de setembro de 2017 no Espaço Cênico O LUGAR (Sala Norte). A Cia. Corpos Nômades retomou o evento P-LUGAR, concebido em 2007, no ano de 2016. Acontecerão concertos de músicos, DJs, VJs, experimentadores(as) de música, sons e outros sentidos.

O espaço fornecerá equipamento de luz, som, divulgação, assessoria de imprensa, material gráfico e um técnico para acompanhar as montagens. Cada artista deverá ter o seu próprio operador de luz e som.

Os interessados deverão enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com, com o material (descrição de carreira, áudio e vídeo do trabalho). Assunto: P-LUGAR 2017. Inscrições até 28 de julho de 2017.

Para as ações que envolvam apresentações serão cobrados ingressos de R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia) e 75% do valor total da bilheteria será dividido entre os artistas envolvidos. Cada artista poderá deixar seu material à venda na bilheteria, como: cd, dvd, livro, camisetas,etc. Os artistas contarão com uma ajuda de custo de R$500,00.

6- X MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA # EDIÇÃO 2017

Temos o prazer de convidar a todos os interessados a se inscreverem para a “X Mostra Lugar Nômade de Dança” – edição 2017. Como é de praxe, o Espaço Cênico O Lugar, sede da Cia. Corpos Nômades, abre suas portas para que experimentadores e investigadores da dança contemporânea dividam seus trabalhos com outros artistas e com o público em geral. A ideia da Mostra é possibilitar um espaço para a apresentação dos trabalhos, compartilhamento das pesquisas e processos criativos, discussão e reflexão das questões artísticas.

“X Mostra Lugar Nômade de Dança” acontecerá nas duas últimas semanas de outubro ou novembro de 2017 (de sexta a domingo), com cerca de três espetáculos durante cada final de semana, sendo cada semana uma programação (caso seja necessário a data da Mostra poderá ser alterada).

Dentro da programação da “X Mostra Lugar Nômade de Dança”, teremos a “Sessão Meia-Noite Olho Neles” que acontecerá nos (sábados) às 24h, com 3 ou 4 espetáculos por noite. Essas sessões serão dedicadas aos novos artistas, grupos recém-formados, coreógrafos em começo de carreira, trabalhos de conclusão de curso e/ou ainda formandos das universidades de dança.

Teremos também o “Tea-Time O LUGAR EM REFLEXÃO” nos sábados às 16hs, para discussão e reflexão sobre os trabalhos da Mostra, numa conversa aberta ao público.

Os grupos e artistas convidados contarão com cache:

  • Para apenas 1 apresentação na Sessão Meia-Noite Olho Neles, entre R$1.000,00 e R$1.500,00.
  • Para 3 apresentações na Mostra Lugar Nômade de Dança, entre R$2.500,00 e R$4.500,00, conforme o número de intérpretes.

 Aos espetáculos convidados será solicitado que não seja programada apresentações em outro Teatro ou Festival,  que esteja localizado nas proximidades do Espaço Cênico O LUGAR – São Paulo-SP,  durante o mesmo mês da data da Mostra. Caso ocorra, poderá (ão) ser canceladas a(s) apresentação(ões).

As inscrições deverão ser feitas até o dia 15 de setembro de 2017, enviando o material abaixo:

-Preencher ficha de inscrição (fazer download no site), contendo:
sinopse, release de no máximo cinco linhas, tempo de duração do espetáculo (de 25 a 45 minutos), histórico de apresentações do espetáculo, currículo do artista/companhia (material em Word);

-Vídeo do espetáculo gravado em CD ou DVD ou o link do vídeo em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo, na íntegra;

- 3 fotos (em alta resolução: 300 DPIs);

Ficha-de-Inscrição-X-Mostra-Lugar-Nômade-de-Dança-2017

Obs.: Especificar na ficha de inscrição se o espetáculo é para “X Mostra Lugar Nômade de Dança” ou para a “Sessão Meia-Noite Olho Neles”.   Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: mostralugarnomadededanca@gmail.com. Assunto X Mostra Lugar Nômade de Dança. Mais Detalhes pelo telefone 55 11 3237-3224 ou por e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

 

7- Novo espetáculo inspirado em Dr. Faustroll de Alfred Jarry, work in progress estreiará na X MOSTRA LUGAR NôMADE DE DANÇA e seguirá em temporada no Espaço Cênico O LUGAR até 17/12/2017. Mais detalhes no site da companhia.

 

8- Oficina “Alfred Jarry e o Doutor Faustroll; patafísica e surrealismo”, com Claudio Willer. Gratuito. Acontecerá em outubro ou novembro/2017. Mais detalhes no site da companhia.

Serão examinados, ao longo do curso e do workshop, aspectos da enorme contribuição de Alfred Jarry, o modo como foi assimilada pelo surrealismo e as possibilidades de projetá-la ou mobilizá-la como instrumental para a criação e para enriquecer o relacionamento com a vida em São Paulo.

Jarry foi autor de uma obra colossal (os três volumes de sua obra completa pela coleção Pléiade somam 4.500 páginas), abrangendo a dramaturgia, poesia e prosa. Nela se destacam as versões da peça teatral Ubu (Ubu ReiUbu AcorrentadoUbu Cornudo etc) e as narrativas O supermacho e Doutor Faustroll, recentemente publicada no Brasil, na qual é proposta e formulada a Patafísica, “ciência das soluções imaginárias”, que consiste no estudo dos epifenômenos, do aparentemente circunstancial ou irrelevante.

 

9- Workshop “A Arte da Presença”, ministrado por Sônia Mota. Gratuito. Acontecerá em outubro ou novembro/2017. Mais detalhes no site da Companhia.

A Arte da Presença é uma proposta de dança desenvolvida por Sônia Mota a partir de questionamentos pessoais referentes a algumas posturas das técnicas clássica e moderna da dança, conjugados com ideias e conceitos de Alexander Rowen, Ana Rolf, Fritjof Capra e Ken Dichtwald. A técnica ainda passeia por dicas amorosas de grandes amigos, da sua empatia pela filosofia Zen e do seu profundo desejo de integrar corpo, mente e espírito no ato de dançar. Em vez de criar uma nova linguagem, Sônia preocupou-se mais em transformar, restaurar, readaptar, reorganizar os códigos clássicos e modernos da dança. Sem ser uma técnica da improvisação, Arte da Presença improvisa com as regras do dançar. Sem ser meditação, acentua a maneira individual de dançar do dançarino. Respeita-se mais os conceitos de dinâmica, textura e individualidade do movimento que a forma em si. Em suas aulas, Sônia pontua a prática dos seguintes tópicos: – a consciência da força da gravidade – a eliminação do eixo central em favor dos eixos laterais – o diálogo/jogo entre as polaridades do corpo – as qualidades de projeção e absorção do movimento – o relaxamento muscular para facilitar a liberdade das articulações ósseas – o uso da imagem na condução e execução dos movimentos – a eliminação do compromisso de acerto – o estado de não ação na ação. Vivemos em duas diferentes realidades que acontecem sempre juntas mas que na verdade quase não tem a ver uma com a outra: a realidade do Eu, com seus referidos valores sociais e culturais, e a realidade imediata, viva e atual da presença do ser. A Arte da Presença acontece nesta segunda realidade. Desde 1976 Sônia vem ininterruptamente aplicando seu método na Europa e no Brasil.

 

10- Palestra Da Criação e Tradução de “Gestas e Opiniões do Doutor Faustroll, Pataphysico, Romance Neoscientifico”, de Alfred Jarry: A Literatura Como Viagem Pelo Tempo E Pelos Pensamentos, com Eclair Antonio Almeida Filho. Acontecerá em outubro ou novembro/2017. Gratuito. Mais detalhes no site da Companhia.

Neste evento veremos como na criação de Gestas e Opiniões do Dr. Faustroll, Pataphysico, Alfred Jarry faz uma profunda viagem linguística-literária-filosófica-lúdica pelo tempo e pelos pensamentos através de seu alter ego Dr. Faustroll, de modo que cada um dos seus 41 capítulos torna-se um momento e uma biblioteca distintos. Quanto ao processo de tradução, discutiremos como decidimos mergulhar no estudo da língua portuguesa do final do século XIX e fazê-la encenar nesta obra de Jarry. Além disso mostraremos como tratamos com a diversidade de vozes presentes em Faustroll.

 

2017 10 anos o lugar

 

ATIVIDADES ANTERIORES

CORPOS NôMADES IN CONCERT 
PRA FECHAR 2016

Finalização das atividades da Cia. Corpos Nômades no Espaço Cênico O LUGAR. Apresentações da Companhia, de seus integrantes e dos artistas residentes no dia 17/12 às 20h.

A programação inclui “Dr. Faustroll – Work-in-progress”- Cia. Corpos Nômades, com João Andreazzi, Gervásio Braz e Korina Kordova e os músicos especialmente convidados Alexandre Rosa, Guizado e Ricardo Bigio; o solo “Vomain/Mamvoin” – Gervásio Braz; o solo “Depois de Curvas Perigosas” – Korina Kordova e o LUGARIZAÇÃO 2016    – Apresentação dos residentes artísticos Juliana Maia e Vagner Cruz.

 

  • Corpos Nômades – “CORPO UM LUG@R NÔMADE – Work in progress / Dr. Faustroll”

15216059_1301977966532107_906452337_o

Neste “work in progress”, a Cia. Corpos Nômades apresentará trechos que mesclam coreodramaturgrafias,  improvisação com texturas sonoras e provocações musicais ao vivo. Estas conexões surgiram do encontro feito entre as ações realizadas no Espaço Cênico O LUGAR em 2016:  LAB DE CRIAÇÃO/ CORPO UM LUG@R NÔMADE  e com alguns dos músicos que participaram do P-LUGAR (Evento destinado à música experimental). A Poética escolhida esta conectada com o projeto que utiliza o texto de Alfred Jarry, como um dos fios condutores da nova criação, que a Cia. Corpos Nômades preparará para 2017.

 

Ficha Técnica: Concepção, Direção e Coreografia: João Andreazzi. Elenco: Gervasio Braz, Korina Kordova e João Andreazzi . Músicos ao Vivo: Alexandre Rosa, Guizado e Ricardo Bigio Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Assessoria Poética: Claudio Willer  e Eclair Antonio Almeida Filho Agradecimentos: Aos participantes do Lab de Criação Corpos Um Lug@r Nômade. * “Projeto Cidade Surrealista – Corpo Patafísico Faustrólico em Pintura Metafísica”, conta com o XX Programa Municipal de Fomento À Dança de São Paulo.

 

  • Korina Kordova – “Depois de Curvas Perigosas”

15204110_1301978279865409_715004511_o

O solo “After Sinuous Curves – Depois de Curvas Perigosas” é uma experiência vivenciada por um corpo em transição. É um estudo do (des)equilíbrio e da vulnerabilidade de um corpo tomado por impulsos incompatíveis. Um corpo estrangeiro, percorrido por energia que lhe é estranha, que elabora perguntas e busca conteúdo sensorial durante uma trajetória inevitável.

Ficha Técnica: Coreografia e Interpretação: Korina Kordova iluminação: Łukasz Kędzierski (PL) / Korina Kordova Obs.:Desenvolvido a partir do solo ‘on 8th boulevard. right after sinuous curves’, criado sob a orientação de Bush Hartshorn durante o programa de residência artística Solo Project 2013, Art Stations Foundation by Grażyna Kulczyk, Polônia. apoio: Center in Motion, Varsóvia, Polônia , Duração: 30 minutos.

  • Gervásio Braz – “VoMain / Mamvoin”

15225273_1301978219865415_2125356900_o

Percurso entre os mundos do mais belo ao mais tenebroso da vida de uma mulher que no inicio é mãe e envelhece pela falta de sua cria que foi perdida no mundo.

Solo de dança-teatro, conta a história de uma grande mulher no desespero da vida em busca de sua constante maternidade dilacerada. O cru é posto para fora em um corpo masculino que carrega dentro de si esta memória feminina, busca que está contida em figuras maternas como Bisavó, Avó e Mãe. É um possível encontro com suas ancestrais femininas e outras que estão presentes num imaginário coletivo de seres.

 

Ficha técnica: Concepção, criação e dramaturgia: Gervásio Braz; Orientação: Raimundo Branco e Patrícia Costa; Sonoplastia: Korina Kordova Duração: 20 minutos.

 

 

  • LUGARIZAÇÃO 2016 (Residências Coreográficas) Apresentações dos resultados.
  • Juliana Maia   – “BICHO”

15204119_1301978103198760_1565418951_o

O projeto Bicho é uma tentativa de estabelecer uma ponte entre a condição humana, civilizada e dotada de diversas inteligências cognitivas, e sua pulsão de bicho, no que se refere a capacidade imagética, sensível e intuitiva.  Esta pesquisa de dança recorre à ideia de um indivíduo preenchido não por um mas por vários seres imaginários, que surgem, minguam e florescem ao longo de nossas experiências humanas. Trazer a tona formas do corpo, dialogar entre pulsões, tornar imagética a experiência a partir do sensível. Estes são alguns caminhos percorridos neste solo de dança.

Ficha técnica: Concepção, Coreografia e Interpretação: Juliana Maia, Figurino: Eliana Assumpção e Juliana Maia. Trilha Sonora: Shen Ribeiro. Duração: 20 minutos

 

  • Faixa Um – “Um corpo sem cabeça e sua hostil crina sombria derrama um mar”

15215739_1301977993198771_422933022_o

É uma proposta solo de dança que dá continuidade ao trabalho de grupo ”F4- Cicatrizes”, onde foi colocado em cena situações atreladas a um ser humano por vezes impulsivo e por vezes maquinal, que se comunica com o seu meio, buscando uma conformidade com as necessidades tecnológicas de sobrevivência do mundo. Já agora, há Charles Baudelaire, com “Flores do Mal”, e uma instalação sonora com trechos de musicas de Dorival Caymmi, que provoca modificações na paisagem criada anteriormente, impulsionando um corpo-mítico potente e envolvente.

Ficha técnica: Direção, Concepção, Coreografia e Interpretação: Vagner Cruz Colaboração: João Andreazzi, Figurino: Ana Cristina e Vagner Cruz, Fotografia e Vídeos: Gal Oppido, Agradecimentos: Adriana Podestá, Alberto Magno, Alex Martins, Ana Cristina, Bergson Queiroz, David Schumaker, Débora Podestá, Eleilson Rodrigues, Gal Oppido, Gio Lacal, Helena Yambanis, Italo Caminhoto, João Andreazzi, Lenine Modesto, Livio Lima, Maria Mercês, Maria Dias, Marialva Dias, Paulo Uras, Kanzelumuka, Rosa Hercoles, Rosana Boccia, Talita Ribeiro, Vladimir Lênin, Cia. Corpos Nômades e alunos de fotografia do MAM. Duração: 30 minutos

 e-flyer-corpos-nomades-in-concert

 

FICHA TÉCNICA DA CORPOS NôMADES IN CONCERT

Direção Artística: João Andreazzi Produção: Cia. Corpos Nômades Iluminação: Direção Técnica: Décio Filho Designer Gráfica: Juliana Basile Assistente: Geraldo Fernandes Fotos: Carlos Araújo

 

 

Para roteiro:

CORPOS NôMADES IN CONCERT – Dia 17/12/2016 sábado às 20h. Espetáculos: Cia. Corpos Nômades, Solos de : Korina Kordova, Gervásio Braz, Juliana Maia e Vagner Cruz. Direção artística– João Andreazzi. Ingressos – R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia – estudantes, classe artística e terceira idade). Classificação etária – 14 anos. Mais detalhes: www.ciacorposnomades.art.br

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224 – ciacorposnomades@gmail.com . Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: ciacorposnomadesI.

Assessoria de Imprensa 

Cia. Corpos Nômades

(contato@ciacorposnomades.art.br e ciacorposnomades@gmail.com)

(11)  32373224/ 99231-4457

 

 Atividade anterior:

MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA 

chega na Nona edição com programação intensa

Com direção artística de João Andreazzi,  mostra realizada pela Cia. Corpos Nômades traz à discussão para esta edição diferentes vertentes da dança contemporânea em uma programação com espetáculos, workshop e bate-papo.

Entre os dias 25 de novembro e 27 de novembro de 2016, a sede da Cia. Corpos Nômades, batizada de Espaço Cênico O Lugar, receberá em torno de dez espetáculos de dança, um workshops e um encontro com os artistas envolvidos e o público, dentro da IX Mostra Lugar Nômade de Dança.

Expondo ao público um breve panorama da produção atual da dança contemporânea na cidade de São Paulo, bem como das novas pesquisas e provocações estéticas.

Durante a programação o público poderá conferir trabalhos de nomes como Grupo Divinadança, Avoa! Núcleo Artístico e a Cia. Corpos Nômades, que mostrará um Work in progress, da nova montagem inspirada no projeto Dr. Faustroll, juntamente com alguns experimentos realizados no Lab de Criação Corpos Um Lug@r Nômade – 2016.

Além da programação principal, a mostra também apresenta a Sessão Meia-Noite Olho Neles, voltada para novas criações e talentos da dança, entre elas os selecionados de 2016 do programa de residência artística “Lugarização”, que acontece na sede da Cia Corpos Nômades e tem como objetivo proporcionar um espaço onde os artistas possam desenvolver seus trabalhos de pesquisa e experimentação em dança contemporânea. Além dos três profissionais participantes da residência – Juliana Maia, Marcio Vasconcelos, e Vagner Cruz (Cia. Faixa Um); estarão presentes: Gervásio Braz, Kátia Rozato, Korina Kordova e Pedro Galiza .

Com o intuito de ampliar a troca e disseminação de informações e ideias, a mostra contempla bate-papos, dentro do Tea Time: O Lugar em Reflexão, que acontece no sábado, às 16 horas, que contará com a provocação/mediação de Helena Bastos e João Andreazzi. Ainda na programação, Workshop de Dança Contemporânea – Gratuito, com João Andreazzi no domingo das 16h às 18h.

Para a IX Mostra Lugar Nômade de Dança, a cia recebeu cerca de 32 projetos interessados em participar. João Andreazzi explica que “a intenção da Mostra é que experimentadores e investigadores da dança contemporânea mostrem seus trabalhos e dividam com outros artistas e o público em geral suas pesquisas e questões artísticas. Em comum, os grupos escolhidos tem o fato de aliarem qualidade a propostas que, juntos componham uma perspectiva interessante da dança contemporânea”.

Esse evento IX Mostra Lugar Nômade de Dança, que é a última ação das sete que aconteceram no projeto “CORPO UM LUG@R NÔMADE”, que foram: as temporadas da Cia. Corpos Nômades em São Paulo e outros Estados, o Lugarização – residencies artistícas, o P-LUGAR (evento de música experimental), a I Mostra SÓ SOLOS e o LAB DE CRIAÇÃO – 2016. Essas ações artísticas que o grupo desenvolve durante quase dez anos no Espaço Cênico O LUGAR, que foi inaugurado em 2007 e ganhador do Prêmio APCA 2010 (Associação Paulista de Críticos de Arte) por Modelo de Espaço de Difusão de Dança. Segundo João, “há nestas ações a motivação de dividir o espaço físico para apresentação de trabalhos e para residências, e possibilitar o compartilhamento de ideias e de procedimentos criativos entre as companhias e artistas independentes”, comenta Andreazzi. 

                                          

PROGRAMAÇÃO

IX MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA 

Edição 2016

25, 26 e 27 de novembro de 2016 (sexta às 21h, sábado e domingo às 20h30)

  • DivinaDança - “AMOR 77″

_mg_9445

AMOR 77, Com trilha de Bach e vocabulário singular que mescla dança contemporânea e artes marciais o coreógrafo Jaruam Miguez (BCSP) inspirou- se no poema/conto de Cortázar – Un tal Lucas – “Y después de hacer todo lo que hacen, se levantan, se bañan, se entalcan, se perfuman, se peinan, se visten, y así progresivamente van volviendo a ser lo que no son” (Amor 77 – Un tal Lucas).
Ficha Técnica: Direção: Andrea Pivatto Coreografia: Jaruam Miguez Assistente de coreografia: Vivian Navega Trilha: Sebastian Bach Elenco: Breno Camargo, Guilherme Moreira, Lorena Martinez ou Gabriela Velasco , Lucas Borges, Luisa Biella, Marcio Vitorino, Sabrina Barros,e Sofia Biella. Duração: 23 minutos.
  • Avoa! Núcleo Artístico – “Deslocado”

deslocado_avoa_fotofelipedegalisteo-2

Um corpo coletivo, constituído de experiências e relações estabelecidas em ações coreográficas pesquisadas no centro histórico de São Paulo, desloca-se da rua para uma sala cênica. Surgem, com isso, algumas questões que dizem respeito ao espaço, às relações que se estabelecem e ao jogo coreográfico. Observa certa vulnerabilidade diante da mudança de contexto e experimenta a memória corporal como ferramenta de composição, revelando encontros, desconstruções, tentativas, incompletudes, deslocamentos de sentido, relações, abertura para o que pode vir a ser.
Ficha Técnica: Concepção: …Avoa! Núcleo Artístico
Direção artística/coreográfica: Luciana Bortoletto
Intérpretes-criadores: Mônica Caldeira, Pablo Diego Cavalcanti e Rodrigo Rodrigues
Artista aprendiz: Izabel Uliana Martinelli
Preparação Corporal: Luciana Bortoletto (dança e práticas somáticas),Luis Louis (Mímica Total) e Fabrice Ramalingom (Jogos coreográficosProdução: Aline Grisa/ Bufa Produções
Assistência de produção: Felipe de Galisteo
 Foto Divulgação: Felipe Vieira Duração: 45 minutos
 Apoios: Academia Activa Unidade São Bento, Associação Viva o Centro, Ateliê  de Adriano Bechara, Centro de Referência da Dança de São Paulo, Cooperativa Paulista de Dança, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo *Ação que integra o Projeto Vir-a-Ser – para Manutenção de pesquisa artística – contemplado com o 20º Fomento À Dança*
  • Cia. Corpos Nômades – “CORPO UM LUG@R NÔMADE – Work in progress – DR. FAUSTROLL”

img_0844

Neste “work in progress”, a Cia. Corpos Nômades apresentará trechos que mesclam coreodramaturgrafias,  improvisação com texturas sonoras e provocações musicais ao vivo. Estas conexões surgiram do encontro feito entre as ações realizadas no Espaço Cênico O LUGAR em 2016:  LAB DE CRIAÇÃO/ CORPO UM LUG@R NÔMADE  e com alguns dos músicos que participaram do P-LUGAR (Evento destinado à música experimental). A Poética escolhida esta conectada com o projeto que utiliza o texto de Alfred Jarry, como um dos fios condutores da nova criação, que a Cia. Corpos Nômades preparará para 2017.
Ficha Técnica: Concepção, Direção e Coreografia: João Andreazzi. Elenco: Gervasio Braz, Korina Kordova e João Andreazzi . Músicos ao Vivo: Alexandre Rosa, Guizado e Ricardo Bigio Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Assessoria Poética: Claudio Willer  e Eclair Antonio Almeida Filho Agradecimentos: Aos participantes do Lab de Criação Corpos Um Lug@r Nômade. * “Projeto Cidade Surrealista – Corpo Patafísico Faustrólico em Pintura Metafísica”, conta com o XX Programa Municipal de Fomento À Dança de São Paulo.
  • Tea-Time (Hora do Chá) – Sábado –  26/11/2016. (Lugar em Reflexão) encontro com todos os artistas envolvidos e o público. Sábado às 16h. Provocação/Mediação Helena Bastos e João Andreazzi.

 

  • Sessão Meia-Noite Olho Neles

    Sábado – 26/11/2016 às 24h

 

  • Kátia Rozato – A Leveza do Homem Só”

img_03302

Simplicidade, tensão, intenção, leveza, peso, neutralidade, delicadeza, sombra; um corpo com várias possibilidades se formando em imagens únicas e desinformando à todo momento, algumas coisas se repetem outras tomam outros caminhos mais o eterno retorno é quase que inevitável.
FICHA TÉCNICA : Intérprete/Criadora: Kátia Rozato Trilha Sonora: Between Music Luz: David Mariano Duração  20 minutos

 

  • Korina Kordova - “Depois de Curvas Perigosas”

mankiersztejn

O solo “After Sinuous Curves – Depois de Curvas Perigosas” é uma experiência vivenciada por um corpo em transição. É um estudo do (des)equilíbrio e da vulnerabilidade de um corpo tomado por impulsos incompatíveis. Um corpo estrangeiro, percorrido por energia que lhe é estranha, que elabora perguntas e busca conteúdo sensorial durante uma trajetória inevitável.
“O que foi isso? Um meteorito ou uma visita vinda do espaço sideral? O que quer que tenha sido, apareceu em nosso pequeno terreno…”
Ficha Técnica: Coreografia e Interpretação: Korina Kordova iluminação: Łukasz Kędzierski (PL) / Korina Kordova Obs.:Desenvolvido a partir do solo ‘on 8th boulevard. right after sinuous curves’, criado sob a orientação de Bush Hartshorn durante o programa de residência artística Solo Project 2013, Art Stations Foundation by Grażyna Kulczyk, Polônia. apoio: Center in Motion, Varsóvia, Polônia , Duração: 35 minutos.

 

  • Pedro Galiza - “ACIDENTES”

12236812_10201218080089846_1231382412_o

Eu, Pedro! Escavo este corpo ocorrente, e sem propriedade. Este corpo que não tem escolhas, que insiste em acontecer. Este corpo carregado de quebras de expectativas. Este corpo que desfigura percursos por entre organismos presentes. Este corpo que é criado desde antes de seu nascimento. Este corpo que é descontinuado, atestando sua morte.
Ficha Técnica: Criação e Dança: Pedro Galiza, Trilha Sonora: Pedro Galiza, Apoio: Plataforma Exercícios Compartilhados | Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo, Orientação: Adriana Grechi, Agradecimentos: Rubia Braga. Duração: 15 minutos

 

  • Gervásio Braz – “VoMain / Mamvoin”

fotovomaim

Percurso entre os mundos do mais belo ao mais tenebroso da vida de uma mulher que no inicio é mãe e envelhece pela falta de sua cria que foi perdida no mundo.
Solo de dança-teatro, conta a história de uma grande mulher no desespero da vida em busca de sua constante maternidade dilacerada. O cru é posto para fora em um corpo masculino que carrega dentro de si esta memória feminina, busca que está contida em figuras maternas como Bisavó, Avó e Mãe. É um possível encontro com suas ancestrais femininas e outras que estão presentes num imaginário coletivo de seres.
Ficha técnica: Concepção, criação e dramaturgia: Gervasio Braz; Orientação: Raimundo Branco e Patrícia Costa; Sonoplastia: Bruna Dias Duração: 20 minutos.

LUGARIZAÇÃO

(Residência Coreográfica)

Apresentações dos resultados das Residências Artísticas de 2016.

  • Juliana Maia  – “BICHO”

img_7992

O projeto Bicho é uma tentativa de estabelecer uma ponte entre a condição humana, civilizada e dotada de diversas inteligências cognitivas, e sua pulsão de bicho, no que se refere a capacidade imagética, sensível e intuitiva.  Esta pesquisa de dança recorre à ideia de um indivíduo preenchido não por um mas por vários seres imaginários, que surgem, minguam e florescem ao longo de nossas experiências humanas. Trazer a tona formas do corpo, dialogar entre pulsões, tornar imagética a experiência a partir do sensível. Estes são alguns caminhos percorridos neste solo de dança.
Ficha técnica: Concepção, Coreografia e Interpretação: Juliana Maia, Figurino: Eliana Assumpção e Juliana Maia. Trilha Sonora: Shen Ribeiro.
  • Marcio Vasconcelos – “[MATE O ARTISTA]”

cam00900

[MATE O ARTISTA] é um trabalho de ruptura onde corpo, presença e ação se diluem e se configuram em formato presencial e audiovisual. A pesquisa que teve início em janeiro de 2016 na Residência Artística NUVEM [Estação Rural de Arte e Tecnologia] se desdobra dentro de um espaço cênico no manifesto performático onde o artista corrompe o seu artista através de um espelho. Corpo ameaça-dor versus Corpo ameaça-dor.
FICHA TECNICA: Performance: Márcio Vasconcelos, Direção de Arte/Audiovisual: Tales Frey, Sonoplastia/Ruido: Márcio Vasconcelos Duração: 30 minutos

 

  • Cia. Faixa Um– “Um Corpo sem Cabeça e sua Hostil Crina Sombria Derrama um Mar”

_c4a3533

É uma proposta solo de dança que dá continuidade ao trabalho de grupo ”F4- Cicatrizes”, onde foi colocado em cena situações atreladas a um ser humano por vezes impulsivo e por vezes maquinal, que se comunica com o seu meio, buscando uma conformidade com as necessidades tecnológicas de sobrevivência do mundo. Já agora, há Charles Baudelaire, com “Flores do Mal”, e uma instalação sonora com trechos de musicas de Dorival Caymmi, que provoca modificações na paisagem criada anteriormente, impulsionando um corpo-mítico potente e envolvente.
Ficha técnica: Direção, Concepção, Coreografia e Interpretação: Vagner Cruz, Colaboração: João Andreazzi, Figurino: Ana Cristina e Vagner Cruz, Fotografia e Vídeos: Gal Oppido, Agradecimentos: Adriana Podestá, Alberto Magno, Alex Martins, Ana Cristina, Bergson Queiroz, David Schumaker, Débora Podestá, Eleilson Rodrigues, Gal Oppido, Gio Lacal, Helena Yambanis, Italo Caminhoto, João Andreazzi, Lenine Modesto, Livio Lima, Maria Mercês, Maria Dias, Marialva Dias, Paulo Uras, Kanzelumuka, Rosa Hercoles, Rosana Boccia, Talita Ribeiro, Vladimir Lênin, Cia. Corpos Nômades e alunos de fotografia do MAM. Duração: 35 minutos
  • Workshop de Dança Contemporânea GRATUITO, com João Andreazzi das 16h às 18h no domingo 27/11/2016.
Andreazzi criou esta aula de dança contemporânea a partir de experiências corporais vivenciadas desde os anos 90. A aula, fruto de um trabalho corporal que deu origem a uma linguagem de movimentos, foi elaborada em 1999, quando o coreógrafo retornou da Holanda, após dois anos de estudo na School for New Dance and Development. Esse trabalho, que também deu origem à Cia. Corpos Nômades, e que carrega princípios da ideia do nomadismo na dança, tem os seguintes preceitos: permitir a fluidez do corpo pelo espaço utilizando o próprio impulso, sem ficar preso em contagens, formas e marcas, e deixar o corpo experimentar o espaço externo e interno através do movimento. No escopo do curso há uma ênfase no trabalho de chão (floor work) e na técnica de expansão das articulações partindo da fonte do movimento, respeitando os órgãos e os sistemas do corpo. Por meio desse método, Andreazzi tem propiciado uma sólida formação a muitos artistas em dança contemporânea.
Inscrições para o Workshop: GRATUITO,Encaminhar um e-mail  com  uma carta de intenção para: mostralugarnomadededanca@gmail.com

cartazVIIIMostra-A3

IX MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA  – 2016

Direção Artística: João Andreazzi Produção: Cia. Corpos Nômades Direção Técnica: Décio Filho Assistente: Geraldo Fernades Designer Gráfica: Juliana Basile

Para roteiro:

IX MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA – De 25 a 27 de novembro. Espetáculos da programação principal com apresentações sexta-feira às 21 horas, sábado e domingo, às 20h30. Sessão Meia-Noite de Olho Neles no sábado (26/11), às 23h59. Tea-time / Lugar de Reflexão: Conversa com os artistas e o público – gratuito, no sábado (26/11) às 16h.   Workshop gratuito: Dança Contemporânea dia 27 de novembro, domingo, das 16 às 18 horas; Direção artística da Mostra – João Andreazzi. Ingressos – R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia – estudantes, classe artística e terceira idade). Classificação etária – 14 anos. Mais detalhes: www.ciacorposnomades.art.br
ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224 – ciacorposnomades@gmail.com . Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: ciacorposnomadesI.
Assessoria de Imprensa 
Cia. Corpos Nômades (ciacorposnomades@gmail.com)

(11)  32373224/ 99231-4457

 

 

 

 

 

Outras atividades anteriores: 

P-LUGAR # 2016

P-LUGAR é destinado à música experimental electrônica e acústica. Criado em 2007 pela Cia. Corpos Nômades, onde vários artistas de diversas cidades do Brasil participaram, aconteceu até 2010. Este ano de 2016, será retomada está ação, com as participações eletrizantes do trio Philip Somervell, Thomas Rohrer e Bella, Thomaz Souza Quarteto, o duo de Ricardo Bigio/Alexandre Rosa e o Grupo Fuga Operária.

 

1ª noite – 23/09/2016 – sexta – às 21h

  • Philip Somervell, Thomas Rohrer e Bella

simposio-impro-livre-emesp-2015-dia-1-39-2 

Philip experimenta o piano de uma forma particular, utilizando ferramentas e pequenos objetos; Thomas amplifica e prepara a rabeca, usa sax soprano e se utiliza de objetos incomuns amplificados e as vezes transformados eletronicamente; Bella produz feedbacks com a fita k7 (em formatos diversos), extrai sons gravados ao vivo e os dispara através da fita e de um sampler eletrônico, investiga o erro e explora o espaço. O encontro entre os três evidencia texturas, abstração, sons concretos e espacialidade através do improviso.

Philip Somervell é pianista e improvisador Anglo-Chileno que atualmente reside e trabalha em São Paulo. Thomas Rohrer é músico Suiço radicado há vinte anos no Brasil, onde conheceu a rabeca. É envolvido tanto com música improvisada como música tradicional brasileira. Ambos exploram a tensão entre a bagagem histórica do instrumento e uma abordagem não convencional. Thomas e Phil se conheceram em 2009 em Londres, e começaram a desenvolver juntos um projeto de experimentação e improvisação livre, usando piano com ou sem preparações, pequenos objetos amplificados, eletrônicos, sax soprano e rabeca. Bella é uma entidade fantasma e atua desde os tempos sem nome. Seu limite é irreconhecível e transpõe a sonoridade num exercício que dialoga com a performance, a visualidade e o improviso.

 

  • Thomaz Souza Quarteto

img_8062

Thomaz Souza Quarteto é um grupo formado em 2013 com o intuito de desenvolver o trabalho composicional do saxofonista. Desde então vem se apresentando e ganhando destaque na região de São Paulo e Campinas.

A instrumentação tradicional do quarteto consiste em saxofone, piano (Jonathan Vargas), baixo (Bruno Piapara) e bateria (Elthon Dias), constantemente auxiliados por pedais, sintetizadores, samples, percussões, computadores, quarteto de cordas, violão acústico e guitarra. As fortes influências do jazz e do eletrônico se unem à música brasileira e ainda ao universo erudito e eletroacústico, sendo o experimentalismo um expoente do grupo.

Com dois discos independentes gravados, o fundador e líder do grupo, Thomaz Souza, situa seu trabalho na pesquisa e mescla de gêneros musicais diversos. Com ênfase na música improvisada e eletrônica, busca um autêntico e inovador fusion, ou jazz eletrônico.

O aspecto eclético de suas composições é uma característica que se ressalta. O resultado é a criação de ambientes diversos e coloridos em timbres e texturas, ao mesmo tempo que se ultrapassa as barreiras de gêneros e formas musicais.

2ª noite – 24/09/2016 sábado às 21h

  • FUGA OPERÁRIA

captura-de-tela-2016-07-01-as-10-06-07

Explorando as diferenças e buscando a unidade nas infinitas formas que se pode construir um corpo sonoro, a Fuga Operária constrói suas músicas utilizando instrumentos e máquinas sonoras, proporcionando uma mistura de ritmos que dificulta qualquer enquadramento a formas ou gêneros musicais específicos.

Através da formação estrutural e estética do projeto, a dupla de operários tem como intuito a desconstrução de formas sonoras e visuais pré-concebidas, e para isso utiliza-se de percussão, live samplers, controlador MIDI, guitarra sintetizada, megafone, gaita, youtube, baixo e escaleta.

Todas esses instrumentos são levados à uma interface de gravação e reprodução, construindo um alicerce para novas gravações e improvisos. O painel de colagens sonoras revela uma música psicodélica, brasileira e urbana. Da raiz ao high-tech.

Uma apresentação musical que utiliza a projeção mapeada como ferramenta de costura, intervindo durante o show e dialogando com o som. As imagens projetadas ambientalizam e iluminam a performance, mesclando texturas e vídeos documentais que são controlados pelos músicos operários.

 

  • RICARDO BIGIO e ALEXANDRE ROSA – BASS COLORS

bela-vista-2015

O Contrabaixo Acústico – monstro, sina, ou instrumento musical? Bass Colors é uma narrativa audiovisual irônica sobre o instrumento. Uma obra aberta, para Contrabaixo e Live Electronics, conduzida por Ricardo Bigio e com a participação especial de Alexandre Rosa, que improvisa sobre trechos de obras de grandes compositores – Beethoven, Mahler, Bottesini e Turetzky.

Atualmente Bigio esta fazendo  mestrado em Música na UNESP – Performance em Contrabaixo – sob orientação de Sônia Ray, Ricardo Bigio vem trabalhando com repertório autoral, Produção Musical, trilhas para vídeos, curta metragens e performances.

 

Serviço:

P-LUGAR é destinado à música experimental electrônica e acústica. Criado em 2007 pela Cia. Corpos Nômades, onde vários artistas de diversas cidades do Brasil participaram, aconteceu até 2010. Este ano de 2016, será retomada está ação, com as participações eletrizantes do trio Philip Somervell, Thomas Rohrer e Bella, Thomaz Souza Quarteto, o solo de Ricardo Bigio e o Grupo Fuga Operária.

 

Data: 23 E 24 /09/2106, sexta e sábado às 21h.

Duração: 110 minutos

Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia entrada)

Direção Artística e Concepção: Cia. Corpos Nômades e João Andreazzi.

Local: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo – SP.

Faixa Etária: 16 anos.

Estacionamento: Rua Augusta, 108 (R$9,90 para 6 horas)

Informações e Reserva: 11-32373224 ou 11-992314457 – e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

Site: www.ciacorposnomades.art.br

Facebook: @ciacorposnomadesi e @espacocenicoolugar

 

                           

e-flyer-cartaz O Especulador de Olhos Invisiveis de Carne - fomento 2016

“O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE” , da CIA CORPOS NÔMADES, em NOVA Temporada na cidade de  SÃO PAULO

Dirigido pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi, espetáculo dá sequência a pesquisa iniciada há 16 anos, cujo foco foi a extinta Favela do Gato e a cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá. O texto O Despovoador, de Samuel Beckett, serve como inspiração e provocação, além de se alinhavar a outras fontes inspiratórias fundamentais, como o retorno aos locais visitados

Após uma temporada na cidade do Rio de Janeiro, a Cia Corpos Nômades volta a encenar na capital paulista o espetáculo O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE, desde o dia 22 de julho, em cartaz  no Espaço Cênico O Lugar, ocorrerão as últimas apresentações 26, 27 e 28 de agosto. A “coreodramaturgrafia”: junção de movimentos vocais, corporais, textos, projeções, trilha sonora, elementos cênicos e coreografias, como o coreógrafo e bailarino João Andreazzi, diretor da montagem, gosta de definir, faz parte das comemorações dos 21 anos da Cia.

O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE resgata o princípio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artística de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo lugar/foco foi a extinta Favela do Gato – hoje conjunto habitacional do Parque do Gato – e a cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá. O texto O Despovoador, de Samuel Beckett – escrito no final da década de 60 – serve como importante inspiração e provocação para a criação, além de se alinhavar a outras fontes inspiratórias fundamentais, como o retorno aos locais visitados, em 1999, pela Cia. Corpos Nômades – e revisitados em 2014 e 2015, com o intuito de se observar as modificações ocorridas.

Para João Andreazzi os textos de Samuel Beckett serviram de condutores para as escolhas dos elementos cênicos e elaboração da “coreodramaturgrafia”. “Na montagem , resgatamos o conceito de nômade, da errância do corpo, para encontrar um caminho que nos permeia neste sistema em que vivemos, uma compreensão do período de existência desses corpos e as transformações que ali ocorreram”, explica o diretor.

especulador-baixa (73)

Sufocamento

O espetáculo envolve a sensação de sufocamento das grandes cidades, pela especulação imobiliária, pela má utilização e distribuição do solo, entre outras questões. Estes alinhavos feitos com diferentes texturas e sensações, somados aos pensamentos de Deleuze e Guattari sobre o Capitalismo e a Esquizofrenia, deram de forma estranha e inquietante os tons da dramaturgia às coreografias, brotando, desta junção, as “coreodramaturgrafias”.

“A crítica ao capitalismo se dá num processo de construção e reconstrução do cenário urbano e também dos corpos que o habitam. A ideia de um nomadismo que abarca favelas, conjuntos habitacionais, moradias provisórias, um Minha Casa Tantas Vidas, identidades compostas e fragmentadas”, conta Andreazzi.

Desconstrução do corpo

A cenografia de O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE traz imagens em vídeo e elementos de desconstrução e reconstrução do espaço: de lonas a casinhas de madeira, de palha de coqueiro a garrafas pet que servem como uma espécie de artefato de respiração ou representação do sufoco contemporâneo com os performers enchendo-as e esvaziando-as com a boca.

“O especulador do título remete à ideia da ocupação urbana determinada pelo poder aquisitivo na construção incessante do lucro, mas o que se desconstrói é também o corpo. Trata-se do esgotamento do espaço proposto por Beckett e perpassado pelas reflexões e provocações de Deleuze e Guatarri”, acredita o diretor.

Para Andreazzi, chama a atenção uma passagem do texto que trata dessa perspectiva mostrando que a angústia existencial se inscreve também no físico, neste atrito de corpos que se esbarram, se comunicam, disputam o mesmo espaço, transpiram, se amam, se violentam. É um retrato do corpo urbano e da eterna luta de ocupação do espaço pelo homem. “Uma guerra de nervos, levada às últimas consequências e à flor da pele.”

A Petrobras é a patrocinadora da manutenção da Cia. Corpos Nômades e atualmente conta com o XX Programa Municipal de fomento à Dança de São Paulo.

 

Workshop de dança contemporânea

No sábado, dia 30 de julho, das 15h às 17h, haverá um workshop gratuito de dança contemporânea com João Andreazzi, fundador da Cia. Corpos Nômades. O workshop ocorrerá no Espaço Cênico O Lugar, e envolverá temas que serviram de inspiração para a criação do espetáculo O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE. Para participar, é preciso enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com; com uma carta de interesse. São 20 vagas, para pessoas com a idade acima de 16 anos.

Andreazzi criou esta aula de dança contemporânea a partir de experiências corporais vivenciadas desde os anos 80. A aula, fruto de um trabalho corporal que deu origem a uma linguagem de movimentos, foi elaborada em 1999, quando o coreógrafo retornou da Holanda, após dois anos de estudo na School for New Dance and Development. Esse trabalho, que também deu origem à Cia. Corpos Nômades, e que carrega princípios da ideia do nomadismo na dança, tem os seguintes preceitos: permitir a fluidez do corpo pelo espaço utilizando o próprio impulso, sem ficar preso em contagens, formas e marcas, e deixar o corpo experimentar o espaço externo e interno através do movimento. No escopo do curso há uma ênfase no trabalho de chão (floor work) e na técnica de expansão das articulações partindo da fonte do movimento, respeitando os órgãos e os sistemas do corpo. Por meio desse método, Andreazzi tem propiciado uma sólida formação a muitos artistas em dança contemporânea.

 

especulador-baixa (14)

 

 

Sobre a Cia Corpos Nômades

A Companhia João Andreazzi, existe desde 1995, foi rebatizada em 2000, como Cia. Corpos Nômades. Desde seu lançamento em 2000, a Cia Corpos Nômades já participou de diversos eventos das Artes Cênicas. Com o espetáculo de estréia OOZE/EZOO que integrou elementos das artes cênicas contemporâneas com os elementos da cultura Hip-Hop (uma co-produção da Bienal da Dança do SESC de 2000, tendo como cenário o Cais de Santos-SP), integrou a programação do Balaio Brasil realizado pelo SESC São Paulo e no ano seguinte foi selecionado para a Mostra Oficial do Festival de Curitiba, fazendo logo após uma pequena temporada no SESC Pompeia e uma Turnê pelo interior de São Paulo também no ano de 2001. Com o espetáculo Pôs-Ter fez a abertura do evento Outras Danças no SESC Ipiranga/SP em 2002 e com Remix-Pôs/Ter no ano de 2003 participou do evento Dança no Arena do Centro Cultural São Paulo (CCSP). Já em 2004, esteve com o espetáculo Hyperbolikós no espaço do Itaú Cultural e no CCSP nas Semanas da Dança e em 2005, com a mesma obra, realizou uma turnê pelo interior de São Paulo, por algumas unidades do SESC, integrou a programação do Panorama SESI de Dança e o evento 4 Movimentos no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro em 2006. Com o espetáculo solo Nocaute no ano de 2004 apresentou-se no CCSP, Fórum Mundial de Cultura no SESC Pompéia e na Mostra de Dança de Santo André, com esse mesmo solo também integrou o Panorama SESI de Dança de 2005. Com Algum Lugar Fora do Mundo, espetáculo em comemoração aos cinco anos de existência, participou da Mostra Internacional SESC de Artes Mediterrâneo, Virada Cultural da Cidade de São Paulo, Semanas de Dança CCSP, Caravana Paulista de Teatro, Caixa Cultural Rj – Teatro Nelson Rodrigues. Com Cenas Corpos Nômades em 2006 no evento Semanas de Dança – CCSP e na Virada Cultural da Cidade de São Paulo. Em 2007, Gramática Expositiva do Chão teve pré-estréia nos SESCs São José do Rio Preto e Santana, fez temporada no O LUGAR e em 2008 esteve no SESC Sorocaba. Já o espetáculo Fuga Fora do Tempo, teve sua estreia no evento Dança em Pauta do CCBB – SP (2007) e realizou temporada no O LUGAR em outubro de 2007 e novembro a dezembro de 2008. No repertório da Cia constam os espetáculos O Barulho Indiscreto da Chuva, Hotel Lautréamont – Os Bruscos Buracos do Silêncio, Édipus Rex – A Máquina Desejante, Espectros de Shakespeare – Do Outro Lado do Vento, Na Infinita Solidão Dessa Hora e Desse Lugar, Uma Sinfonia Entre a Medula Óssea e o Piscar dos Olhos e Hostel Project. A Cia. Corpos Nômades e João Andreazzi receberam alguns prêmios, tais como: APCA 2000, Funarte – EnCena Brasil 2002, Rumos Itaú Cultural Dança 2003, Prêmio Estímulo à Dança SMCSP 2004, APCA 2005,  Programa de  Fomento à Dança da Cidade de São Paulo, Funarte Klauss Vianna 2007, APCA 2010 e o Petrobras Cultural 2013.

 

Vídeo do espetáculo

https://www.youtube.com/watch?v=MlgTQKPD4To

 

 

Para roteiro:

 

O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE – De 22 de julho a 28 de agosto, no Espaço Cênico O Lugar. Concepção e Direção – João Andreazzi. Elenco – Bruna Dias, Dresler Aguilera, Gervasio Braz e João Andreazzi. Trilha Sonora – Felipe Julian. Iluminação – Décio Filho. Figurino – David Schumaker. Cenário e Vídeo – Cia. Corpos Nômades e David Schumaker. Designer Gráfico – Juliana Basile. Agradecimentos – Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani (Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia Krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria (Favela do Gato), Leticia Mantovani, Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha e Claudio Willer. Temporada – Sexta-feira e sábado às 21 horas e domingo às 20 horas. Ingressos – R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada – estudantes, classe artística e terceira idade). Classificação etária – 14 anos. Duração – 60 minutos.

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo. Reservas e informações – (11) 3237-3224. Bilheteria – Abre duas horas antes do início da apresentação. Capacidade – 65 lugares. Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: ciacorposnomades. www.ciacorposnomades.art.br.

 

 

 
 

 

 

 

 

 

Publicações de atividades anteriores da Cia. Corpos Nômades:

Projeto  “CORPO UM LUG@R NÔMADE – 2016″

CIA. CORPOS NÔMADES – ESPAÇO CÊNICO O LUGAR

PROGRAMAÇÃO 2016

Cia. Corpos Nômades propõe para o ano de 2016, sete ações para compartilhamento de Espaço e de Tempo. Apresentando modos, maneiras e diferentes formas de pensamentos em arte. Serão sete atividades dentro do projeto “CORPO UM LUG@R NÔMADE*”.

Espaço Cênico O LUGAR (Baixo Augusta – São Paulo) comemora em 2016, nove anos de existência, como sede da Companhia. Onde, neste período, desenvolveu ações artísticas constantes de formação, criação e difusão em dança contemporânea envolvendo milhares de pessoas. Atualmente a Petrobras é a patrocinadora da manutenção da Cia. Corpos Nômades.

Neste ano, acontecerá pela primeira vez, no mês de agosto, uma mostra destinada à dança e ao teatro, a I MOSTRA DE DANÇA E TEATRO “SÓ SOLOS EM AGOSTO”, será a primeira edição desta mostra, destinada aos criadores e performers da dança e do teatro, que desejam mostrar seus espetáculos solos inéditos ou não. Outra novidade é a retomada do evento P-LUGAR (concebido em 2007) destinado à Música Experimental Eletrônica ou Acústica, durante os sábados do mês de setembro. Também teremos novamente espaço para residentes coreográficos com o LUGARIZAÇÃO (convidando três artistas da dança), Oficina Laboratório de Criação “Corpo Um Lug@r Nômade”, com Cia. Corpos Nômades e direção João Minelli Andreazzi e a IX Mostra Lugar Nômade de Dança, que inclui Sessão Meia-Noite Olho Neles. Além da temporada do novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades “O Especulador de Olhos Invísiveis de Carne” de meados de março até final de abril, ocorrendo uma itinerância por outras cidades.

 SETE Ações do projeto CORPO UM LUG@R NÔMADE no Espaço Cênico O LUGAR – 2016

 

e-flyer programação 2016 Corpo Um Lug@r Nômade

 II LABORATORIO de Criação “Corpo Um LuG@r Nômade” – 2016 Envolvendo Dança, Música, Performance e Teatro Contemporâneo

LAB CRIAÇÃO CORPO UM LUG@R NÔMADE - 2015

LAB CRIAÇÃO CORPO UM LUG@R NÔMADE – 2015

O intuito deste laboratório é o de acessar artistas interessados em participar do projeto da Cia. Corpos Nômades “Corpo Um Lug@r Nômade”, resultando em um espetáculo que se apresentará na IX Mostra Lugar Nômade de Dança # edição 2016, para após seguir em temporada no Espaço Cênico O LUGAR.

Neste Laboratório de Criação ” CORPO UM LUG@R NÔMADE-2016″, serão abordados temas envolvendo os ready-mades glaciais utilizados no espetáculo “Fuga Fora do Tempo” inspirado em Marcel Duchamp e no mito do Dr. Fausto, mais especificamente no mito visto por Alfred Jarry em Gestas e Opiniões do DR. Faustroll Pataphysico (Romance Neocientifico) com tradução de Eclair Antonio Almeida Filho. Compartilhem e se inscrevam!!! A Cia. Corpos Nômades conta para sua manutenção com o Patrocínio da Petrobras e contará para está nova criação, com o  Programa Municipal de Fomento à Dança de São Paulo.

foto Silvia Machado (6)

                                                                                                                                              “Fuga Fora do Tempo – 2008″ foto Silvia Machado

Sendo que os dois primeiros meses serão destinados a seleção de até três ou cinco artistas que irão integrar esta performance que no momento chamamos de “ Hostel Project: Fase III”.  Após o Lab de Criação, os intérpretes convidados/selecionados para integrarem a Cia. Corpos Nômades receberão cachê por mês de +- R$2.300,00.

LAB CRIAÇÃO CORPO UM LUG@R NÔMADE - 2015

Duração: 4 meses, divididos em duas fases. Sendo 02 mês de preparação corporal e dois meses de criação coreodramaturgráfica.

Número de vagas: 25.  Iniciando 18 de julho. Nos meses de julho  e agosto, das 18h às 20h.  Setembro e outubro de 2016, das 18h às 22h (conforme o andamento, os ensaios nos meses de setembro e outubro poderão ocorrer de segunda a sexta e não apenas as segundas, quartas e sextas). Público alvo: Intérpretes da dança e do teatro com uma forte vivência corporal. Inscrições até 30/06/2016 – enviar Currículo Resumido – com o número do DRT, vídeo do trabalho corporal e Carta de Interesse para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com com assunto LABORATORIO de Criação Corpo Um LuG@r Nômade – 2016.

Inscrições Encerradas para LUGARIZAÇÃO (residências coreográficas) 2016 

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015                                                                                                                                                                                                        Foto Inês Correa

Esta edição das Residências Coreográficas conecta-se com o projeto da Cia. Corpos Nômades   “CORPO UM LUG@R NÔMADE”. O norte para as escolhas dos projetos inscritos serão os que tenham temas conectados com a fusão de linguagens, da dança, do teatro, musica, performance arte, arte popular, com temas sócio – políticos – culturais, mesclando no corpo diferentes maneiras e modos de cultuar o movimento.

Estão abertas até 12 junho de 2016 as inscrições para o LUGARIZAÇÃO: programa de residência artística no Espaço Cênico O LUGAR, sede da Cia Corpos Nômades, que tem por finalidade proporcionar um espaço onde os artistas possam desenvolver seus trabalhos de pesquisa e experimentação em dança contemporânea. O LUGARIZAÇÃO é destinado apenas a trabalhos individuais em processo, inéditos ou em re-elaboração.

O programa fornecerá a estrutura física do Espaço Cênico O Lugar (sala de ensaio, espaço para reunião e para guardar material). Ao final de três meses de trabalho, os resultados serão apresentados na XI Mostra Lugar Nômade de Dança dentro do“Sessão Meia-Noite Olho Neles” e na MOSTRA GRÁTIS LUGARIZAÇÃO – 2016.   A nova edição do LUGARIZAÇÃO permitirá a residência de no mínimo três artistas, no período julho, agosto e setembro de 2016.

INSCRIÇÃO: As inscrições deverão ser feitas até o dia 12 de junho de 2015, enviando a proposta de pesquisa/criação com no máximo duas laudas, currículo e vídeos de trabalhos anteriores gravados em CD ou DVD ou os links dos vídeos em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo. Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com. Mais informações por telefone (11)3237-3224, no site: www.ciacorposnomades.art.br

 I MOSTRA DE DANÇA E TEATRO “SÓ SOLOS EM AGOSTO”  – Inscrições encerradas.

Será a primeira edição desta mostra,   destinada aos criadores e performers da dança e do teatro, que desejam mostrar seus espetáculos inéditos ou não. Acontecerá numa mesma programação, serão em torno de três espetáculos por noite, à cada semana, durante as duas últimas semanas de agosto de 2016. Os interessados devem enviar o material contendo: release, vídeo na integra do espetáculo ou ensaio, fotos, ficha técnica, histórico de apresentações, para o e-mail ciacorposnomades@gmail.com, escrever no assunto “ Mostra de Dança e Teatro SÓ SOLOS EM AGOSTO – 2016”.  inscrições até 17/06/2016 (sexta).

INSCRIÇÃO: As inscrições deverão ser feitas até o dia 17 de junho de 2015, enviando a proposta de pesquisa/criação com no máximo duas laudas, currículo e vídeos de trabalhos anteriores gravados em CD ou DVD ou os links dos vídeos em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo. Enviar o material pessoalmente ou pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: ciacorposnomades@gmail.com. Mais informações por telefone (11)3237-3224, no site: www.ciacorposnomades.art.br

P-LUGAR 2016 # Setembro ParAtividadeS de Músicas Experimentais Eletrônicas ou Acústicas. Nos sábados (03,10,17 e 24/09 – às 22h30) do mês de setembro de 2016 o Espaço Cênico O LUGAR (Sala Norte). A Cia. Corpos Nômades retomará o evento P-LUGAR (concebido em 2007). Acontecerão concertos de músicos, DJs, VJs, de experimentadores(as) de música, sons e outros sentidos. Os interessados deverão enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com, com o material (descrição de carreira, áudio e vídeo do trabalho) escrevendo no assunto: P-LUGAR 2016. Inscrições até 15 de julho de 2016.

CHAMAMENTO DA IX MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA # EDIÇÃO 2016

Estudo Imprevisível para uma primavera imprevisível

Temos o prazer de convidar a todos os interessados a inscreverem-se para a “IX Mostra Lugar Nômade de Dança” – edição 2016. Como é de praxe, o Espaço Cênico O Lugar, sede da Cia. Corpos Nômades, abre suas portas para que experimentadores e investigadores da dança contemporânea dividam seus trabalhos com outros artistas e com o público em geral. A ideia da Mostra é a de possibilitar um espaço para a apresentação dos trabalhos, compartilhamento das pesquisas no processo criativo, discussão e reflexão das questões artísticas.

“IX Mostra Lugar Nômade de Dança” acontecerá nas duas ultimas semanas de outubro ou novembro de 2016 (de sexta a domingo), com cerca de três espetáculos por noite, sendo cada semana uma programação. (Caso seja necessário podera se alterada a data da Mostra).

Dentro da programação da “IX Mostra Lugar Nômade de Dança”, teremos a “Sessão Meia-Noite Olho Neles” que acontecerá nos (sábados) às 24h, com 3 a 4 espetáculos por noite. Essas sessões serão dedicadas a novos artistas, grupos recém-formados, coreógrafos em começo de carreira, trabalhos de conclusão de curso e ou ainda formandos das universidades de dança.

Teremos também o “Tea-Time O LUGAR EM REFLEXÃO” nos (sábados) às 16h, para discussão e reflexão sobre os trabalhos da Mostra, numa conversa aberta ao público.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 30 de setembro de 2016, enviando o material abaixo: -Preencher ficha de inscrição (fazer download no site), contendo:
Sinopse, release com no máximo cinco linhas, tempo de duração do espetáculo (por volta de 25 a 45 minutos), histórico das apresentações do espetáculo, currículo do artista/companhia (material em Word);

-Vídeo do espetáculo gravado em CD ou DVD ou o link do vídeo em sites de compartilhamento como o Youtube ou Vimeo, na íntegra;

- 3 fotos (em alta resolução: 300 DPIs);

Obs.: Especificar na ficha de inscrição se o espetáculo é para “IX Mostra Lugar Nômade de Dança” ou para a “Sessão Meia-Noite Olho Neles”.   Lembramos que um dos intuitos desta Mostra é o de possibilitar ao artista um espaço para mostrar seu trabalho na cidade de São Paulo, por isso não convidamos projetos que tenham datas de apresnetação proximos ao Espaço Cênico O LUGAR no mês que ocorrer a Mostra.

Enviar o material pessoalmente, pelo correio para o endereço: Espaço Cênico O LUGAR – Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000, ou para o e-mail: mostralugarnomadededanca@gmail.com. Mais informações por telefone 55 11 3237-3224 ou por e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

Projeto “Corpo Um Lug@r Nômade”, projeto da Cia. Corpos Nômades, que desenvolve diversas atividades de criação, formação e difusão, todas conectadas com os principios e conceitos de concepção da ideia original da Cia. Corpos Nômades, os quais envolvem desde 1999, uma pesquisa voltada a noção do sentido nômade no corpo, nos corpos, nos lugares, nos pensamentos criativos e Inspirações cruciais voltadas aos pensamentos de Deleuze, Guattari e do geógrafo brasileiro Milton Santos.

Informação Importante:  Para este ano, algumas das ações contarão com uma ajuda custo. Para as ações que envolvem  apresentações serão cobrados ingressos de R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia), e o valor total  será dividido entre os envolvidos.

 Cia. Corpos Nômades – Espaço Cênico O LUGAR

Rua Augusta, 325 – São Paulo/SP – CEP 01305-000

e-mail: ciacorposnomades@gmail.com Facebook:@ciacorponomades e @espacocenicoolugar

Mais informações por telefone (11)3237-3224 ou (11)992314457, no site: www.ciacorposnomades.art.br

 

ATIVIDADES JÁ REALIZADAS 

Temporada do novo espetáculo “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne” no Espaço Cênico O LUGAR, de 18/03/2016 a 01/05/2016. Sempre as sextas e sábados às 21h e no domingo às 20h.

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015                                                                                                                                                                                       Foto Inês Correa

A nova obra da companhia dirigida pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi resgata o principio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artistica de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo o lugar/foco foi a extinta favela do Gato (hoje conjunto habitacional do Parque do Gato) e a Cultura Guarani (Aldeias: Krukutu e do Jaraguá). Lugares que foram revisitados em 2014 e 2015 com o intuito de observar as modificações ocorridas nesses locais.

Neste processo os textos de Samuel Beckett (como “O DESPOVOADOR”) serviram de condutor para as escolhas dos elementos cênicos e na elaboração da coreodramaturgrafia. “Para este espetáculo resgatamos o conceito de “nômade”, da errância do corpo, para encontrar um caminho que nos permeia neste sistema em que vivemos, uma compreensão do período de existência desses corpos e as transformações que ali ocorreram”, explica Andreazzi.

O projeto envolve diferentes sensações e motivações com o objetivo de provocar a construção coreodramaturgráfica, entre elas estão as provocações de Deleuze e Guatarri sobre o Capitalismo e a Esquisofrenia.

Ficha Técnica

Concepção e Direção: João Andreazzi Elenco: Dresler Aguilera,  Gervasio Braz, João Andreazzi e Letícia Mantovani Trilha Sonora: Felipe Julian Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Cenário e Vídeo: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker Designer Gráfico: Juliana Basile Agradecimentos: Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani(Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria(Favela do Gato), Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha, Claudio Willer. Duração: 50 minutos.

Serviço

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne’ – Temporada: 18 de março a 01 de maio de 2016.  Sempre as sextas e sábados às 21h e domingos às 20h. Preços: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia), bilheteria abre com 1 hora de antecedência. Lotação: 60 pessoas Faixa Etária indicada: 14 anos Convênio com Estacionamento: Ueda Park Rua Augusta, 108 (R$10,00, por 12h).

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224, (11) 992314457 ou pelo e-mail ciacorposnomades@gmail.com Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: @ciacorposnomades

ITINERÂNCIA Corpos Nômades Cidades do Brasil. Aprsentações do novo espetáculo “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne” por cidades do País. Acontecerão no primeiro e segundo semestre de 2016, algumas viagens com este novo espetáculo que serão agendadas pela Companhia, além das apresentações (de duas a três em cada cidade) também ocorrerá um workshop gratuito de dança contemporânea (2 horas) em cada localidade. Mas outras apresentações e workshops poderão ser agendados por você (programador, espectador, curador, artista), pessoas interessadas em levar este espetáculo para sua cidade, sem custo de cachê, apenas contribuindo com os custos de hospedagem, alimentação e transporte para seis pessoas. Os interessados poderam enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com, informando o local e cidade, o período desejado, mencionando a possível estrutura de colaboração e algum contato, com o teatro, Secretaria de Cultura da Cidade ou do local que poderá receber a Cia. Corpos Nômades, para analise e a produção verificar a possibilidade de realização.

1- RIO DE JANEIRO – Teatro Cacilda Becker, FUNARTE/CENA ABERTA  – 06, 07 e 08 de maio de 2016 – Sexta e Sábado às 20h e Domingo às 19h.

2- BELO HORIZONTE -FUNARTE MG ,  FUNARTE/CENA ABERTA – 20,21 e 22/05/2016  – Sexta e Sábado às 20h e Domingo às 19h.

INGRESSOS R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).

 

CIA. CORPOS NÔMADES com “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne” em BELO HORIZONTE, FUNARTE – MG 

COMUNICADO DE ADIAMENTO

A Cia. Corpos Nômades, de São Paulo, comunica o adiamento das apresentações do espetáculo “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne”, dirigido pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi – que estaria pela primeira vez em Belo Horizonte, do dia 20 a 22 de maio, no Galpão 3, da Funarte MG. O workshop gratuito de dança contemporânea que seria ministrado por Andreazzi também está adiado. Novas datas serão divulgadas em breve.

O motivo do adiamento é a ocupação da sede da Funarte MG pela classe artística e movimentos sociais, desde o último domingo (15/5). A direção da Funarte MG optou por manter o Galpão 3 e o Galpão 1 fechados por motivo de segurança ao patrimônio. Os demais galpões do espaço estão abertos à ocupação artística.

A Companhia também RESSALTA QUE É COMPLETAMENTE  CONTRA A EXTINÇÃO DO MINISTÉRIO DA CULTURA E O SEU REBAIXAMENTO PARA CATEGORIA DE SECRETARIA.   

Para a companhia, A CULTURA UNIFICA E APAZIGUA. A CULTURA CULTIVA O AMOR A ALGO, à ALGUÉM, À VIDA E ISSO FAZ DA CULTURA UMA PONTE ENTRE O PASSADO, O PRESENTE E O FUTURO.

NÃO PODEMOS TOLERAR TAMANHO INSULTO À ALMA HUMANA!

e-flyer-MG  Oficial   O ESPECULADOR DE OLHOS INVISI?VEIS DE CARNE-2

Pela primeira vez em Belo Horizonte, Cia Corpos Nômades, de São Paulo, comemorara 21 anos, apresentando espetáculo e workshop de dança na Funarte.

Uma “coreodramaturgrafia”: junção de movimentos vocais, corporais, textos, projeções, trilha sonora, elementos cênicos e coreografias. Assim é o espetáculo “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne”, dirigido pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi – que estará pela primeira vez em Belo Horizonte, do dia 20 a 22 de maio, sexta e sábado às 20h, e domingo às 19h, na FUNARTE MG. Uma ótima oportunidade para os mineiros conhecerem o mais recente espetáculo da companhia paulista Cia. Corpos Nômades, que está completando 21 anos, em 2016.

No sábado, dia 21 de maio, das 15h às 17h, haverá também workshop gratuito de dança contemporânea com João Andreazzi, também fundador da Cia. Corpos Nômades. O workshop ocorrerá no Galpão 3 da FUNARTE MG, e envolverá temas que serviram de inspiração para a criação do espetáculo “O Especulador De Olhos Invisíveis De Carne”. Para participar, é preciso enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com; com uma carta de interesse. São 20 vagas, para pessoas com a idade acima de 16 anos.

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne

O espetáculo envolve a sensação de sufocamento das grandes cidades, pela especulação imobiliária, pela má utilização e distribuição do solo, entre outras questões. O texto “O Despovoador” de Samuel Beckett – escrito no final da década de 60 – serve como importante inspiração e provocação para a criação, além de se alinhavar a outras fontes inspiratórias fundamentais, como o retorno aos locais visitados, em 1999, pela Cia. Corpos Nômades – e revisitados em 2014 e 2015, com o intuito de se observar as modificações ocorridas. Os locais são: a região centro-norte da cidade de São Paulo, na extinta Favela do Gato, nas aldeias dos índios Guaranis, na região noroeste (Pico do Jaraguá) e na Zona Sul (Krukutu e Tenondé-porã).

Estes alinhavos feitos com diferentes texturas e sensações, somados aos pensamentos de Deleuze e Guattari sobre o Capitalismo e a Esquizofrenia, deram de forma estranha e inquietante os tons da dramaturgia às coreografias, brotando, desta junção, as ditas “coreodramaturgrafias” – termo que designa as junções: movimentos vocais e corporais, textos, projeções, trilha sonora, elementos cênicos com as coreografias.

Petrobras é a patrocinadora da manutenção da Cia. Corpos Nômades.

Corpo Nômade

O Especulador De Olhos Invisíveis De Carne”, dirigido pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi, resgata o princípio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artística de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo lugar/foco foi a extinta Favela do Gato – hoje conjunto habitacional do Parque do Gato – e a Cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá.

Neste processo, os textos de Samuel Beckett serviram de condutores para as escolhas dos elementos cênicos e elaboração da coreodramaturgrafia. “Para este espetáculo resgatamos o conceito de “nômade”, da errância do corpo, para encontrar um caminho que nos permeia neste sistema em que vivemos, uma compreensão do período de existência desses corpos e as transformações que ali ocorreram”, explica Andreazzi.

Nas palavras da jornalista Célia Musilli: “Vi e gostei bastante, é representativo daquilo que a companhia define como coreodramaturgrafia, num processo constante de inscrição e ressignificação do corpo.

A ideia é mesmo a do “corpo nômade” e retoma a pesquisa iniciada em 1999, realizada na Favela do Gato – hoje Conjunto Habitacional Parque do Gato – e com a Cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá, que foram revisitadas em 2014 e 2015. O espetáculo mescla a cultura guarani com a obra de Beckett, mais propriamente com o conto “O despovoador”.

A crítica ao capitalismo se dá num processo de construção e reconstrução do cenário urbano e também dos corpos que o habitam. A ideia de um nomadismo que abarca favelas, conjuntos habitacionais, moradias provisórias, um Minha Casa Tantas Vidas, identidades compostas e fragmentadas.

A cenografia traz imagens em vídeo e elementos de desconstrução e reconstrução do espaço: de lonas a casinhas de madeira, de palha de coqueiro a garrafas pet que servem como uma espécie de artefato de respiração ou representação do sufoco contemporâneo com os performers enchendo-as e esvaziando-as com a boca.

O “especulador” do título remete à ideia da ocupação urbana determinada pelo poder aquisitivo na construção incessante do lucro, mas o que se descontrói é também o corpo. Trata-se do esgotamento do espaço proposto por Beckett e perpassado pelas reflexões e provocações de Deleuze e Guatarri.

Chama a atenção uma passagem do texto que trata dessa perspectiva mostrando que a angústia existencial se inscreve também no físico, neste atrito de corpos que se esbarram, se comunicam, disputam o mesmo espaço, transpiram, se amam, se violentam. É um retrato do corpo urbano e da eterna luta de ocupação do espaço pelo homem. Uma guerra de nervos, levada às últimas consequências e à flor da pele.”

Workshop de dança contemporânea

Andreazzi criou esta aula de dança contemporânea a partir de experiências corporais vivenciadas desde os anos 80. A aula, fruto de um trabalho corporal que deu origem a uma linguagem de movimentos, foi elaborada em 1999, quando o coreógrafo retornou da Holanda, após dois anos de estudo na School for New Dance and Development. Esse trabalho, que também deu origem à Cia. Corpos Nômades, e que carrega princípios da ideia do nomadismo na dança, tem os seguintes preceitos: permitir a fluidez do corpo pelo espaço utilizando o próprio impulso, sem ficar preso em contagens,   formas, marcas; deixar o corpo experimentar o espaço externo e interno através do movimento. No escopo do curso há uma ênfase no trabalho de chão (floor work) e na técnica de expansão das articulações partindo da fonte do movimento, respeitando os órgãos e os sistemas do corpo. Por meio desse método, Andreazzi tem propiciado uma sólida formação a muitos artistas em dança contemporânea.

Ficha Técnica

Concepção e Direção: João Andreazzi / Elenco: Dresler Aguilera, Gervasio Braz, João Andreazzi e Letícia Mantovani / Trilha Sonora: Felipe Julian / Iluminação: Décio Filho / Figurino: David Schumaker /Cenário e Vídeo: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker /Designer Gráfico: Juliana Basile /Agradecimentos: Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani(Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria (Favela do Gato), Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha, Claudio Willer.

IMG_2064                                                                                                                                                                                                                                            Foto Bruno Padilha

SERVIÇO

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne

Faixa Indicativa: 14 anos. Duração: 60 minutos

Data/Horário:: 20 a 22 de maio de 2016 – sexta e sábado às 20h e domingo às 19h

LocalFUNARTE MG, Galpão 3, Rua Januária, 68, Centro, BH.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) – bilheteria abre com 2 horas de antecedência. Lotação: 100 pessoas. Faixa Etária indicada: 14 anos. Duração: 60 minutos

Informações e reservas para workshop: (31) 3213-7112 – WhatsApp (11) 992314457 ou pelo e-mail ciacorposnomades@gmail.com 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

Luz Comunicação – www.luzcomunicacao.com.br

Jozane Faleiro -(31) 3567-6714 | 9.9402-6367 | 9.8828-0906 jozane@luzcomunicacao.com.br

Atendimento – Janine Horta – assessoria@jozanefaleiro.com – (31) 9.9743-4013

 

IMG_1755

IMG_2016                                                                                                                                                                                                                                           Foto Bruno Padilha

TRECHO EM VÍDEO DO ESPETÁCULO​

  “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne” imperdível até 1º de maio! Últimas apresentações no no Espaço Cênico O LUGAR, depois segue para RJ Teatro Funarte Cacilda Becker (06, 07 e 08 de maio de 2016) e FUNARTE MG (20, 21 e 22 de maio de 2016).

IMG_2064

                                                                fotos: Bruno Padilha

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne – Novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades envolve a sessão de sufocamento das grandes cidades, pela especulação imobiliária, pela má utilização e distribuição do solo. O texto “O Despovoador” de Samuel Beckett – escrito no final da década de sessenta – serve como importante inspiração e provocação para esta criação, além de se alinhavar a outras fontes inspiratórias fundamentais: os locais visitados em 1999 – revisitados em 2014 e 2015 – pela Cia. Corpos Nômades, na região centro norte  da cidade,  na extinta Favela do Gato, nas aldeias dos índios Guaranis na região noroeste (Pico do Jaraguá) e na Zona Sul (Krukutu e Tenondé-porã). Estes alinhavos feitos com diferentes texturas e sensações somados aos pensamentos de Deleuze e Guattari sobre o Capitalismo  e Esquizofrênia  deram de forma estranha e inquietante os tons da dramaturgia às coreografias, brotando desta junção as ditas “coreodramaturgrafias” – termo que designa as junções: movimentos vocais e corporais, textos, projeções, trilha sonora, elementos cênicos  com as coreografias.

Espaço Cênico O LUGAR (Baixo Augusta – São Paulo) comemora, em 2016, nove anos de existência como sede da Companhia. Neste local, desenvolveram-se ações artísticas constantes de formação, criação e difusão em dança contemporânea envolvendo milhares de pessoas. Atualmente a Petrobras é a patrocinadora da manutenção da Cia. Corpos Nômades.

 

A nova obra da companhia dirigida pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi resgata o princípio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artística de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo lugar/foco foi a extinta  Favela do Gato – hoje conjunto habitacional do Parque do Gato – e a Cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá. Lugares que foram revisitados em 2014 e 2015 com o intuito de se observar as modificações ocorridas.

Neste processo, os textos de Samuel Beckett, como “O DESPOVOADOR, serviram de condutores para as escolhas dos elementos cênicos e elaboração da coreodramaturgrafia.  “Para este espetáculo resgatamos o conceito de “nômade”, da errância do corpo, para encontrar um caminho que nos permeia neste sistema em que vivemos, uma compreensão do período de existência desses corpos e as transformações que ali ocorreram”, explica Andreazzi.

 

Ficha Técnica

Concepção e Direção: João Andreazzi Elenco: Dresler Aguilera,  Gervasio Braz, João Andreazzi e Letícia Mantovani Trilha Sonora: Felipe Julian Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Cenário e Vídeo: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker Designer Gráfico: Juliana Basile Agradecimentos: Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani(Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria(Favela do Gato), Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha, Claudio Willer.  Duração: 50 minutos.

Serviço – Sinopse: O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne – O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne – Novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades envolve a sessão de sufocamento das grandes cidades,  pela especulação imobiliária e pela má utilização/distribuição do solo. O texto “O Despovoador” de Samuel Beckett (escrito no final da década de sessenta) serve como uma importante inspiração/provocação para esta criação e se alinhava a outras fundamentais fontes inspiratórias: os locais visitados em 1999 e revisitados em 2014 e 2015, pela Cia. Corpos Nômades, na região centro norte  da cidade, na extinta Favela do Gato, nas aldeias dos índios Guaranis na região noroeste (Pico do Jaraguá) e na Zona Sul (Krukutu e Tenondé-porã).   Temporada: 18 de março a 01 de maio de 2016.  Sempre as sextas e sábados às 21h e domingos às 20h. Preços: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia), bilheteria abre com 1 hora de antecedência. Aceitamos apenas dinheiro e cheque (não aceitamos cartão de débito e nem de crédito).Lotação: 60 pessoas Faixa Etária indicada: 14 anos Duração: 50 minutos.

Convênio com Estacionamento: Ueda Park Rua Augusta, 108 (R$10,00, por 12h).

Contato:

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224, (11) 992314457 ou pelo e-mail ciacorposnomades@gmail.com  site www.ciacorposnomades.art.br .  Facebook @ciacorposnomades . Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: @ciacorposnomades

Compra e Reserva de Ingressos Antecipados :

1- Pessoalmente Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – SP, de terça a sexta das 15 h às 18h.

2-  Enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com ,   informando:  quantidade de ingressos, nome, endereço para entrega (será cobrada uma taxa de R$25,00 para entrega dos ingressos na cidade de São Paulo, fora da cidade, será  enviado por sedex, ocorrendo a mesma taxa).

3- Por WhatsApp   011 – 992314457 . 

4- Diretamente na Bilheteria, que abre sempre 01 hora antes do espetáculo.

Fotos clicadas por Inês Correa-2015 e Henk Nieman-2016. Caso deseje algumas fotos em alta, solicite enviando o número da foto, com o  nome do fotógrafo, para o e-mail ciacorposnomades@gmail.com , com o assunto envio de fotos do “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne”.

 

 

 

 

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015

VIII MOSTRA NOMADE DANÇA 2015                                                                                                                                                                    fotos Inês Correa

Cia. Corpos Nômades estreia – “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne”

 Novo espetáculo da Cia. Corpos Nômades, estreia no próximo dia 4 de dezembro de 2015 no Espaço Cênico O Lugar (Rua Augusta, 325 – Consolação) . A nova obra da companhia dirigida pelo coreógrafo e bailarino João Andreazzi resgata o principio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artistica de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo o lugar/foco foi a extinta favela do Gato (hoje conjunto habitacional do Parque do Gato) e a Cultura Guarani (Aldeias: Krukutu e do Jaraguá). Lugares que foram revisitados em 2014 e 2015 com o intuito de observar as modificações ocorridas nesses locais.   A Petrobras é patrocinadora da Cia. Corpos Nômades.

Neste processo os textos de Samuel Beckett (como “O DESPOVOADOR”) serviram de condutor para as escolhas dos elementos cênicos e na elaboração da coreodramaturgrafia. “Para este espetáculo resgatamos o conceito de “nômade”, da errância do corpo, para encontrar um caminho que nos permeia neste sistema em que vivemos, uma compreensão do período de existência desses corpos e as transformações que ali ocorreram”, explica Andreazzi. O projeto envolve diferentes sensações e motivações com o objetivo de provocar a construção coreodramaturgráfica, entre elas estãoas provocações de Deleuze e Guatarri sobre o Capitalismo e a Esquisofrenia

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne’, da Cia. Corpos Nômades, nasceu das experiências proporcionadas a partir da oficina LAB CRIAÇÃO CORPO UM LUG@R NÔMADE, que aconteceu de julho a setembro de 2015, com o proposito de criar um procedimento de conexão entre a formação e a criação, onde o corpo do performer pode buscar diferentes lugares e estados para daí então encontrar outros corpos.

Projeto envolveu vistas a indios Guarani

A primeira fase aconteceu no primeiro semestre de 2014 com o “Hostel Project – Fase I”, após um acampamento de alguns dias na aldeia Krukutu, onde a Companhia foi acolhida pelo lider guarani Marcos Tupã. Neste processo ocorreram algumas aulas de Guarani e foram lidos trechos de textos de Beckett foram adaptados e traduzidos para o Guarani.

No laboratório de criação João Minelli Andreazzi, criador da  Cia. Corpos Nômades, dividiu com diversos artistas suas inquietações de pesquisa coreográfica, que ainda no momento a nomeia de coreodramaturgráfica. Nesta etapa, os participantes  vivenciaram algumas  maneiras e modos de construir e desconstruir o corpo/intérprete. Neste “CORPO UM LUG@R NÔMADE” o corpo/intérprete foi construido através da preparação corporal proposta por Andreazzi.

Ficha Técnica

Concepção e Direção: João Andreazzi Elenco: Dresler Aguilera,  Gervasio Braz, João Andreazzi e Letícia Mantovani Trilha Sonora: Felipe Julian Iluminação: Décio Filho Figurino: David Schumaker Cenário e Vídeo: Cia. Corpos Nômades e David Schumaker Designer Gráfico: Juliana Basile Agradecimentos: Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani(Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria(Favela do Gato), Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha, Claudio Willer. Duração: 50 minutos.

Serviço

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne’ – Temporada: 4 a 20 de dezembro

Dias: Sempre as sextas e sábados às 21h e domingos às 20h

Preços: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia entrada)

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224 – ciacorposnomades@gmail.com . Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: @ciacorposnomades

 

e-flyer-OEspeculador

 

 

 

            

 

 

 

 

 

 

 

MOSTRA LUGAR NÔMADES DE DANÇA CHEGA

A OITAVA EDIÇÃO COM PROGRAMAÇÃO INTENSA

Com patrocínio da Petrobras e direção artística de João Andreazzi, mostra realizada pela Cia. Corpos Nômades traz um recorte do panorama da produção atual de dança contemporânea no Brasil e programação com espetáculos, workshop e bate-papo.

Entre os dias 20 de novembro e 29 de novembro de 2015, a sede da Cia Corpos Nômades, batizada de Espaço Cênico O Lugar, receberá dezessete espetáculos de dança, dois workshops e uma palestra/encontro dentro da VIII Mostra Lugar Nômade de Dança. Levando ao público uma visão da produção atual da dança contemporânea no Brasil, bem como novas pesquisas e provocações estéticas. A direção artística da mostra é do coreógrafo João Andreazzi e o patrocínio é da Cia. Corpos Nômades e da Petrobras. “A diferença desta Mostra/Festival é a intensidade da troca, do  dividir numa mesma noite de programação diversos intérpretes criadores da dança contemporânea que convivem e trocam experiências  mesclando os espectadores, pois o público que acompanha determinado artista acaba prestigiando outro. Os espetáculos acontecem nas duas Salas do Espaço Cênico O LUGAR,  na Sala SUL e na Sala Norte, com intervalos entre uma apresentação e outra. Intenso e instigante, vale conferir”.

Durante duas semanas o público poderá conferir trabalhos de nomes como Célia Gouvêa, Sonia Galvão, Dudude Herman, Maria Mommensohn, Sônia Mota, Janice Vieira. Em 2015, a programação traz uma novidade: pela primeira vez, a Cia Corpos Nômades pre-estreiará uma nova criação na Mostra que organiza. O grupo apresenta o resultado do Lab de Criação Corpo Um Lug@r Nômade, que intitula-se “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne”, recorte e momentos da obra de Beckett, como o Despovoador e com a pesquisa da Cultura Guarani e os moradores da antiga Favela do Gato. Depois das apresentações na Mostra (dias 27, 28, e 29 de novembro), a montagem segue temporada até o dia 20 de dezembro de 2015.

Além da programação principal, a mostra também apresenta a Sessão Meia-Noite Olho Neles, voltada para novas criações e talentos da dança, entre elas os selecionados de 2015 do programa de residência artística “Lugarização”, que acontece na sede da Cia Corpos Nômades e tem como objetivo proporcionar um espaço onde os artistas possam desenvolver seus trabalhos de pesquisa e experimentação em dança contemporânea. Além dos seis profissionais participantes da residência – Josefa Pereira, Joana Ferraz, Calu Zabel, Larissa Verbisck / Bruno Avoglia, Michele Carolina e Adega Olmos / Thiago Sallas; estarão presentes:  Vagner Cruz – Cia. Faixa Um, Erika Moura, Nina Giovelli e o Triângulo Nuclear.

Com o objetivo de ampliar a troca e disseminação de informações e ideias, a mostra contempla bate-papos, dentro de Tea Time: O Lugar em Reflexão, que acontece aos sábados, sempre às 16 horas. Ainda na programação, Workshop de Dança Indiana com Sonia GalvãoWorkshop de Dança Contemporânea com Sônia Mota e um Encontro sobre “Surrealismo O Espectador Alucinado” com Claudio Willer, todos eventos gratuitos.

Durante o período da Mostra ocorrerá a LUGAR EM FOTO EXPOSIÇÃO com Fotos do acervo Célia Gouvêa, uma foto-instalação de Caio Zanuto, além de fotos da Cia. Corpos Nômades, clicadas por Henk Nieman.

Para a VIII Mostra Lugar Nômade de Dança, a cia recebeu cerca de 82 projetos interessados em participar. João Andreazzi explica que “a intenção da Mostra é que experimentadores e investigadores da dança contemporânea mostrem seus trabalhos e dividam com outros artistas e o público em geral suas pesquisas e questões artísticas. Em comum, os grupos escolhidos tem o fato de aliarem qualidade a propostas que, juntos componham uma perspectiva interessante da dança contemporânea”.

Esse evento, segundo João, está em linha com o projeto “CORPO UM LUG@R NÔMADE”, ações artísticas que o grupo desenvolve graças ao patrocínio da Petrobras, como a residência artística, bem como a manutenção da sede Espaço Cênico O Lugar, inaugurado em 2007 e ganhador do Prêmio APCA 2010 (Associação Paulista de Críticos de Arte) por Modelo de Espaço de Difusão de Dança. “Há nestas ações a motivação de dividir o espaço físico para apresentação de trabalhos e para residências, e possibilitar o compartilhamento de ideias e de procedimentos criativos entre as companhias e artistas independentes”, comenta Andreazzi.

                                           PROGRAMAÇÃO
VIII MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA edição 2015
1ª SEMANA Da PROGRAMAÇÃO – 20,21 e 22 de novembro de 2015 (sexta às 21h, sábado e domingo às 20h30)
  •        Maria Mommensohn – Mboch

Maria MommensohnVIIIDSCN4278

Aborda o homem como manifestação da divindade Nhamandu de quem emanam as almas-palavras, o povo guarani. Por meio de uma linguagem transversal, metafórica através de imagens da natureza e do corpo metamorfoseado, usando elementos plásticos para abordar o momento entre a vida e a morte.
Ficha Técnica
Criação: Maria Mommensohn
Iluminação: Décio Filho
Montagem Cenográfica e projeção multimídia: Geraldo Fernandes
Duração: 40 minutos
  • Dudude Hermann – A Primavera deste tempo, século 21, isto a interessa…” ?ESTUDO IMPREVISÍVEL PARA UMA PRIMAVERA IMPREVISÍVEL?
_Estudo imprevisível para uma primavera imprevisível__1409_20131006_0089
O trabalho tem como estrutura a composição em tempo real, onde a paisagem está na musica de Igor Strawinsky Sagração da Primavera composta especialmente para dança em 1913, permanecendo viva nestes tempos de nossa fatídica atualidade.
Em Estudo Imprevisível Dudude constrói uma ambientação onde a natureza se faz exposta com uma atmosfera crua, irremediável, a imprevisibilidade é fator de provocação para construção de imagens que geram leituras ecológicas, ambientais, sociais, poéticas, humanas correlatas a existência do mundo agora.
Ficha Técnica
Concepção e Intérprete: Dudude Herman
Duração: 40 minutos
 
  • Companhia Sonia Galvão – Mangalam
Mangalam 1-Foto Rodrigo Moraes (2)
Mangalam significa auspicioso, abençoado, próspero e afortunado.O espetáculo reúne 07 bailarinos de diferentes estilos da dança clássica indiana num panorama contemporâneo, mesclando o rigor e a precisão da tradição indiana com a fluidez e leveza da dança moderna, preservando os vários aspectos de uma das culturas mais ricas do mundo.
Ficha Técnica
Direção, Concepção e Roteiro: Sonia Galvão
Assistência de roteiro: Betty Gervitz
Intérpretes: Sonia Galvão, Barbara Malavoglia, Cintia Kawahara, Deborah Rocha, Erika Strauss e Fernando Felipe
Cenário: Fabio Namatame
Plano de luz: Andre Boll
Figurino: Radhey Bhagrathi Das
Fotografia: Fabio Chelini
Filmagem: Rodrigo Moraes
Flores: Bothanica Paulista
Contra regra: Alessandra Vidotti
Produção: Sonia Galvão
Duração: 40 minutos
  • Tea-Time – 21/11/2015. Lugar em Reflexão) encontro com todos os artistas envolvidos e o público. Sábado às 16h.
  • Sessão Meia-Noite Olho Neles – 21/11/2015 às 24h
  • Erika Moura – Leontina

Erika MouraFoto de Arô Ribeiro - PLEM-3662

“Já contei essa história tantas vezes e ninguém quis me acreditar. Vou agora contar tudo especialmente pra senhora, que se não pode ajudar, pelo menos não fica me atormentando como fazem os outros”.
Assim começa a narradora-personagem de “A Confissão de Leontina”, conto da Lygia Fagundes Telles que retrata uma realidade muito brasileira: uma menina pobre, Leontina, nascida numa pequena cidade do interior (de nome sugestivo, Olhos d’Água), que foge para a cidade grande. Pouco letrada e “sem ter quem com ela se preocupe no mundo”, trabalha como dançarina de aluguel. Sofre as agruras da metrópole, até parar atrás das grades, de onde ela passa a narrar sua trajetória.
Ficha Técnica
Dança, concepção e figurino: Erika Moura
Luz: Marisa Bentivegna
Direção: Marat Descartes
Produção: Michele Carolina
Fotografia: Arô Ribeiro
Duração: 30 minutos
Prêmio Zé Renato de teatro para a cidade de São Paulo
  • Nina Giovelli – DESVIANTE ou Glory Box – uma dança inadequada

IMG_5010

Desviante é uma dança-resposta às inquietudes provocadas num corpo feminino por uma cultura de adequação. Um devir-dança gerado a partir de investigações em primeira e em terceira pessoa, um desvio. Vem para experimentar imaginários, gestos e perspectivas; vem para problematizar construções de identidade e vivenciar desejos. O corpo não se fixa, ele transita, desvia.
Ficha Técnica
Concepção, criação e performance: Nina Giovelli/
Trilha sonora: Otávio Carvalho/
Iluminação: Cauê Gouveia/
Provocações: Monica Lopes e Patrícia Árabe/
Arte gráfica, foto e vídeo: Pedro Ivo Carvalho/
Produção: Thaís Rossi.
Duração: 30 minutos
  • LUGARIZAÇÃO (Residência Coreográfica) Apresentações dos resultados das Residências Artísticas de 2015.
  • Joana Ferraz – “Besta”
    BESTA - still“Estarei aqui, pesarei sobre o assoalho. Eu sou.”Um galho de árvore, um tronco úmido, um pedregulho, um porco morto. O peso das coisas no chão. As coisas. O nome de cada coisa. Existência contra existência.
Ficha Técnica
Dança: Joana Ferraz
Som: Joana Ferraz e Ricardo Vincenzo
Fotografia: Ilana Lichtenstein
Duração: 30 minutos
Agradeço aos Montes, aos Players, aos Exercícios Compartilhados e aos amigos que visitam esse processo em conversas, em ensaios, em existindo na minha vida.
  •  Calu Zabel – “O Axexê da Bailarina Morta”
caluzabel
Axexê é o ritual fúnebre do candomblé, que serve de inspiração para esse trabalho. A bailarina morta é alguém com quem compartilhei uma identidade. Esses dois elementos criam essa pesquisa em dança e performance sobre corpo, memória e imaginação. (em processo).
Ficha Técnica
Concepção/performance: Calu Zabel
Figurino: Gabriel Gutierrez
Música: NU
Colaboradores: Maíra Silvestre, Ubiratã Trindade e Gabriel Gutierrez
Produção: Carpideiras Produções Artísticas Ltda
Duração: 30 minutos
  • Adega Olmos e Thiago Salas – “Corações Partidos”
IMG_3173Serão realizados experimentos e reflexões, a partir de um mote conceitual, cunhado na análise de estados psicológicos existente em situações de aflição, geradas na fragmentação do ser, em relações que se interrompem, quebram, geram perdas, criam faltas e assim causam a fragmentação do ser, definida pela expressão – CORAÇÃO PARTIDO.
Ficha Técnica
Criação e Concepção: Adega Olmos e Thiago Salas
Performers: Adega Olmos e Thiago Salas
Figurino: Helena Obersteiner
Duração: 30 minutos
  • Workshop Dança Indiana com Sonia Galvão das 15h às 17h no domingo 22/11/2015.

Foto para o Workshop de Dança IndianaMangalam 60 Foto Fábio Chelini (1)

Workshop de dança clássica indiana Odissi, técnica que tem como objetivo aprimorar e exercitar a concentração, a musicalidade e a coordenação motora.
O ensino dessa dança segue normas do corpo bastante diferentes daquelas usadas em outras formas de dança. Posições e ritmo dos pés, flexões do corpo, maneiras de andar, juntamente com expressões faciais e o gestual das mãos, são elementos que estabelecem uma relação entre música, poesia e dança em uma movimentação estilizada e graciosa. Aquecimento das articulações. Consciência corporal para dança indiana. Introdução à técnica Odissi / exercícios de Chowk e Tribhang. Talas, mudras (gestual das mãos ). Dança pura (Nritta ) e dança expressiva (Nritya ). Pequena composição coreográfica . Alongamento e relaxamento
Sônia Galvão. Bailarina, professora e pesquisadora, de formação clássica e moderna , desde 1988 estuda e trabalha com as danças indianas. Estudou com grandes nomes da nossa dança, como Ismael Guiser, Vitor Navarro, Sonia Mota, Suzana Yamauchi, Luis Arrieta, entre outros. Atuou em diversos grupos e espetáculos de dança, montagens no Teatro Galpão, Grupo Experimental de Dança, até a formação de seu próprio grupo, o Andança, formado apenas por mulheres, em 1978. Trabalhou como assistente e bailarina de Ivaldo Bertazzo durante seis anos, participando em todos osespetáculos e produções. Viaja para a Índia constantemente para cursos de reciclagem (Nova Delhi, Orissa e Aurangabad). Escreveu o livro “Dança Clássica Indiana –Odissi ,guia de referência para iniciantes.
2ª SEMANA da PROGRAMAÇÃO – 27, 28 e 29 de novembro de 2015   (sexta às 21h, sábado e domingo às 20h30).
  • Corpos Nômades – “O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne”- Pré-estreia do novo espetáculo, que utilizou o LAB CRIAÇÃO CORPO UM LUG@R NÔMADE, que foi marcado pelo encontro dos intérpretes e o público participante na busca de criar uma cumplicidade entre o fazer e refazer a dança contemporânea. Considerando os procedimentos conectados à formação e à criação, onde o corpo do intérprete busca diferentes lugares e estados para daí encontrar – se com outros corpos que o habitam.   Neste processo o texto de Samuel Beckett O DESPOVOADOR serve de condutor para que o corpo perca-se e depois encontre-se de um outro modo, como se buscasse uma saída ou entrada à ficção, ao sonho e à subjetividade do existir.

O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE cia.corpos nômades - foto joão andreazzi

Estreará no dia 04/12, seguindo em temporada até o dia 20 de dezembro de 2015.
Ficha Técnica
Concepção e Direção: João Andreazzi
Elenco: Dresler Aguilera,  Gervasio Braz, João Andreazzi e Letícia Mantovani
Trilha Sonora: Felipe Julian
Iluminação: Décio Filho
Figurino: David Schumaker
VJ: Fran Rockita
Cenário: Cia. Corpos Nômades
Designer Gráfico: Juliana Basile
Duração: 50 minutos
  • Célia Gouvêa – Alavancas e Dobradiçasvitor_vieira_fotografia-7888
Elo com o público: a proposta coreográficade Alavancas e Dobradiças é estabelecer vínculos, interações, relações como público presente, a ele dirigindo-se diretamente durante a apresentação. Se há no ponto de partida questões especificamente  artísticas, há a constatação de que elas concernem igualmente qualquer pessoa. A reflexão sobre a dança absorvida através do aprendizado suscita questões referentes à formação: se, de um lado, esta de fato molda o corpo, por outro lado convém lembrar o sentido da palavra grega tekné, que corresponde ao bem fazer artesanal, tornando a pessoa apta a exercer com domínio um ofício, qualquer que ele seja – a dança, por exemplo.
Ficha Técnica
Coreografia e interpretação: Célia Gouvêa
Operação de Luz: Rafael Petri
Fotografia: Vitor Vieira
Produção: Ação Cênica Produções Artísticas
Duração: 40 minutos
  • Grupo Pró-Posição – Andrea Nhur e Janice Vieira – Vis-à-Vis
Vis-à-Viscom Janice Vieira e Andréia Nhur - Preestreia
Nesta criação, mãe e filha bailarinas, emergentes de contextos políticos e culturais distintos, conflitam suas memórias e perspectivas de arte. A mãe viveu e dançou, de maneira engajada, os anos 60/70 no Brasil; a filha nasceu nos anos 80, quando o combate radical saía de cena para dar lugar ao radical-chic. As conversas que daí surgem colocam frente a frente não só dois corpos de idades e movimentações diferentes, mas também as ideologias, os sonhos e as ações.
Ficha Técnica
Criação e execução: Janice Viera e Andréia Nhur
Colaboração artística: Isabelle Launay
Iluminação: Roberto Gill Camargo
Produção: Paola Bertolini
Duração: 40 minutos
  • Sessão Meia-Noite Olho Neles – 28/11/2015 às 24h
  • Faixa Um/Vagner Cruz – F4 Cicatrizes
10845978_10203134094267352_5052640569701776291_nNum objetivo questionador e não afirmativo, retrata o corpo no seu paradoxal processo civilizatório, transpondo pra cena movimentações atreladas a um ser humano impulsivo e maquinal, que se comunica com o meio em que vive na busca de uma conformidade com as necessidades tecnológicas de sobrevivência do mundo.
Ficha Técnica
Concepção, Coreografia e Arte Sonora: Vagner Cruz
Assistência de Dramaturgia: Bérgson Queiroz
Iluminação: Rossana Boccia
Cenário: David Shumaker
Figurino: Helena Yambanis
Fotografia: Gal Oppido
Elenco: Alberto Magno, Alex Martins, Lívio Lima e Rossana Boccia
Duração: 30 minutos
  • Triangulo Nuclear – Descartáveis (Trabalho em Processo)
Partilha do Sensivel_08_Danilo Patzdorf-2
É uma obra ainda em processo sobre a superficialidade das relações atuais, estranhamente transformadas pelas tecnologias. O trabalho cria um ambiente frio e artificial, utilizando elementos plásticos e questionando a maneira como lidamos com o outro e com a matéria/carne de que somos feitos.
Ficha Técnica
Direção Coletiva: Antonio Marques, Flavia Lucato e Natalia Yukie
Elenco: Antonio Marques, Flavia Lucato e Natalia Yukie
Duração: 30 minutos
  • LUGARIZAÇÃO (Residência Coreográfica) Apresentações dos resultados das residências artísticas de 2015. 
  • Larissa Verbisck e Bruno Avoglia – CavaIMG_0960
É um trabalho que olha para as idas, porque urge pelas voltas. Resulta do             que “põe em relação”, ação-metáfora sistema sanguíneo humano. Esse é o mote disparador da criação da dança, na busca do encontro com a própria subjetividade e de uma arte que escolhe seu posicionamento diante da realidade.
Ficha Técnica
Direção e Interprete: Larissa Verbisck
Direção e Interprete Musical: Bruno Avoglia
Duração: 25 minutos
  • Josefa Pereira – HideBeHide
foto Josefa Pereira
Se a dança é de alguma maneira uma força invisível que toma o corpo para o movimento, que faz com que alguém se lance pelo espaço, poderia ela ser única e radicalmente movida pelo nosso desconhecido e invisível lado? Como dançar o desconhecido? Como dançar com as costas, ou para trás? Como dançar unicamente com este nosso lado desconhecido? Que tipo de coreografia isso faria emergir?
  • Michele Carolina – Estudos Opacos

IMG_3463

É uma pesquisa de movimento e dança que nasce nas ruínas e demolições geradas pela intensa ação de verticalização da cidade de São Paulo. A construção deste cenário altera profundamente as relações sociais, geopolíticas, econômicas e arquiteturais da cidade e esta pesquisa propõe-se adentrar, de forma poética, em algumas destas trincheiras urbanas. Este estudo bebe na teoria dos Territórios Opacos e Luminosos do geógrafo Milton Santos.
Ficha Técnica
Concepção, dança, objetos e figurino: Michele Carolina
Artista visual: Rafael Frazão
Fotografia: Rafael Frazão
Duração: 30 minuto
  • Workshop Dança- HAIKUTANZ, com Sonia Mota - domingo 29/11/2015 das 14 às 17h.

IMG_0205

É uma das formas mais curta da expressão lírica. Somente com a amplitude, profundidade e significado de seus três versos de dezessete sílabas, um haiku consegue grande força de expressão num pequeno espaço de tempo Haiku na linguagem de dança significa evocar imagens de grande intensidade através de movimentos simples e concisos. Esse encontro propõe a união do método Arte da Presença com a poesia Haikai e se desenrola em cinco fases. Aquecimento técnico. Criação de um haiku literário. Transformação do mesmo em movimento. Composição dramatúrgica dos haikus criados. Pequena apresentação final.
Sônia Mota. Nasceu em 1948, São Paulo, e iniciou sua carreira em 1963. Exerceu um papel decisivo na dança contemporânea brasileira como bailarina, professora e coreógrafa nas décadas de 70 e 80. Trabalha há 25 anos conjuntamente na Alemanha e no Brasil. Profissional independente, cria e dirige projetos sozinha e em parceria com profissionais das artes cênicas de ambos países.
  • Encontro “SURREALISMO O ESPECTADOR ALUCINADO” com Claudio Willer, domingo 29/11/2015 – 17h30 às 19h30. Uma maneira de dar continuidade a oficina “Surrealismo Uma Poética da Alucinação” que ocorreu durante o mês de abril, dentro do projeto Corpo Um Lug@r Nômade.

IMG_0505

Adicionando algo a um curso sobre surrealista, em abril deste ano, a outros cursos de surrealismo e a uma palestra recente sobre Antonin Artaud, e como um dos aspectos da caracterização do surrealismo como poética da alucinação, tratarei do corpo: das representações visuais de corpos no âmbito do surrealismo e de autores que podem ser ligados a esse movimento, e também das expressões poéticas. Relacionarei ambas, valendo-me dos recursos possibilitados pelo ‘datashow’, pela projeção de imagens. Valorizarei mulheres que se expressaram desse modo.
Inscrições para os Workshops e Palestra: Encaminhar um e-mail  com  uma carta de intenção para: mostralugarnomadededanca@gmail.com

 

LUGAR EM FOTO EXPOSIÇÃO

Acervo Célia Gouvea EXp. Fotos

Caio Zanuto exposição de foto10fim

603950_599045983446625_1393538594_n

Durante o período da Mostra ocorrerá a LUGAR EM FOTO EXPOSIÇÃO com Fotos do acervo Célia Gouvêa, uma foto-instalação de Caio Zanuto, além de fotos da Cia. Corpos Nômades, clicadas por Henk Nieman.

FICHA TÉCNICA DA VIII MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA 
Direção Artística: João Andreazzi
Produção: Cia. Corpos Nômades e Assistência de Produção: Marcela Costa
Iluminação: Direção Técnica: Décio Filho. Montagem Técnica: Edinelson Tavares, Geraldo Fernades, Nuno Cayres e Luciana Ribeiro.
Designer Gráfica: Juliana Basile

 

Para roteiro e Serviço:

VIII MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA – De 20 a 29 de novembro. Espetáculos da programação principal com apresentações sexta-feira às 21 horas, sábado e domingo, às 20h30. Sessão Meia-Noite de Olho Neles nos sábados (21 e 28/11), às 23h59. Tea-time / Lugar de Reflexão: Conversa com os artistas e o público – gratuito, nos sábados (21 e 28/11) às 16h.   Workshops e Encontro gratuitos: Dança Indiana dia 22 de novembro, domingo, às 15 horas; Dança Contemporânea dia 29 de novembro, domingo das 14h às 17h e às 17h30 Encontro sobre “O Surrealismo O Espectador Alucinado”. Direção artística da Mostra – João Andreazzi. Patrocínio – Petrobras. Ingressos – R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia – estudantes, classe artística e terceira idade). Classificação etária – 14 anos.

 

ESPAÇO CÊNICO O LUGAR – Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo – Reservas e informações – (11) 3237-3224 – ciacorposnomades@gmail.com . Convênio com estacionamento na Rua Augusta, 108. Facebook: ciacorposnomadesI. www.ciacorposnomades.art.br

 

Assessoria de Imprensa

Cia. Corpos Nômades e 7 FRONTEIRAS

ciacorposnomades@uol.com.br e ciacorposnomades@gmail.com

 

Produção

João Andreazzi e Marcela Costa

(11)  32373224/ 99231-4457

 

Equipe técnica:

Iluminação:

Direção Técnica: Décio Filho

Montagem Técnica: Edinelson Tavares, Geraldo Fernades, Nuno Cayres e Luciana Ribeiro.

e-flyer_VIIIMostra

Print