LAB criação CORPO um LUG@R nômade

LAB Criação CORPO um LUG@R Nômade *

Neste laboratório de criação João Minelli Andreazzi, criador da  Cia. Corpos Nômades, divide com diversos artistas suas inquietações de pesquisa coreográfica, que ainda no momento a nomeia de coreodramaturgráfica. Nesta etapa, os participantes  vivenciam algumas  maneiras e modos de construir e desconstruir o corpo/intérprete.

desenho pesquisa LAB Criação Corpo Um lug@r Nômade 2015

Onde o corpo do intérprete busca, através da preparação corporal proposta por Andreazzi, uma maneira de acessar algumas das lembranças indiscretas (modos de registro de existência), para que juntamente com a poética escolhida (O Despovoador-Beckett), a algumas provocações advindas de Deleuze e Guattari e somadas às cenas de espetáculos de repertório da Companhia (“Na Infinita Solidão Dessa Hora e Desse Lugar” e o “Uma Sinfonia Entre a Medula Óssea e o Piscar dos Olhos”), façam emergir às camadas coreográficas, que dialogarão com os objetos de cena, trilha sonora, projeções, iluminação, figurino, buscando um esgotamento do espaço, cilindricamente proposto por Beckett e comentado por Deleuze. Desta vivência serão convidados alguns dos artistas participantes para integrarem a Cia.Corpo Nômades.  Estreia prevista para última semana de novembro de 2015 na VIII MOSTRA LUGAR NÔMADE DE DANÇA.

desenho pesquisa LAB Criação Corpo Um lug@r Nômade 2015 2

 

LAB CRIAÇÃO CORPO UM LUG@R NÔMADE - 2015Fotos Ana Karina Barbieri

 

Projeto “Corpo Um Lug@r Nômade”, projeto da Cia. Corpos Nômades, que desenvolve diversas atividades de ciração, formação e difusão, todas conectadas com os principios e conceitos de concepção da ideia original da Cia. Corpos Nômades, os quais envolvem desde 1999, uma pesquisa voltada a noção do sentido nômade no corpo, nos corpos, nos lugares, nos pensamentos criativos e Inspirações cruciais voltadas aos pensamentos de Deleuze, Guattari e do geógrafo brasileiro Milton Santos.

Volta às aulas de Dança Contemporânea – 07/07/2015

DSC00321

Inscrições Abertas!

Curso de Dança Contemporânea (iniciante e intermediário) no Espaço Cênico O LUGAR, sede da Cia. Corpos Nômades (São Paulo).  

 Início das aulas no segundo Semestre acontecerá no dia 07/07/2015.

Terças das 20h00 às 22h15. 

Rua Augusta, 325 (entre as Ruas: Marquês de Paranaguá e a Caio Prado, enfrente ao Parque Augusta – São Paulo).
Número de Vagas: 20 
Público alvo: Intérpretes e estudantes de dança (iniciante e intermediário).
Valor mensal:  R$250,00 (sem taxa de matrícula), para 04 aulas no mês. Aula/Experimental ou avulsa: R$70,00.
Mais Informações: 05511.3237-3224 (período das 14h às 20h).
Importante: Confirme sua vaga encaminhando um  e-mail para  (ciacorposnomades@gmail.com), com o assunto: Aulas 2015 – 2º semestre, incluindo seu nome e telefone.

Professor João Andreazzi –  das 20h às 22h15.DSC00052

Andreazzi criou esta aula de dança contemporânea a partir de experiências corporais vivenciadas desde os anos 80. A aula, fruto de um trabalho corporal que deu origem a uma linguagem de movimentos, foi elaborada em 1999, quando o coreógrafo retornou da Holanda, após dois anos de estudo na School for New Dance and Development. Esse trabalho que também deu origem à Cia. Corpos Nômades, e que carrega princípios da idéia do nomadismo na dança, tem os seguintes preceitos: permitir a fluidez do corpo pelo espaço utilizando o próprio impulso, sem ficar preso em contagens, formas, marcas; deixar o corpo experimentar o espaço externo e interno através do movimento. No escopo do curso há uma ênfase no trabalho de chão (floor work) e na técnica de expansão das articulações partindo da fonte do movimento, respeitando os órgãos e os sistemas do corpo. Por meio desse método, Andreazzi tem propiciado uma sólida formação a muitos artistas em dança contemporânea.

banner verao

João Andreazzi,  inicia sua carreira como ator, performer, bailarino e coreógrafo na década de 1980. Em 1990, passa a pesquisar o corpo e a dedicar-se ao ensino da Dança. Coreografa nos anos 1990 os espetáculos “Película da Retina”, “Dark Lady”, “Aventurança”, “Yorick “ e “As Últimas Tentações de Santo Antão”. No período de 1996 a 1998, vive na Holanda, como bolsista do Ministério da Educação na School for New Dance and Development, em Amsterdã, onde cria três coreografias: “Under One’s Very Eyes”, “Password:003” e “Shoot in the Hood” para o Teatro Melkweg, sendo uma delas selecionada para o Nederlands Dans Dag de 1998. Ao regressar da Holanda, em 1999, desenvolve o projeto “Things – m@loc@/F@vel@ – as Coisas”, envolvendo a cultura do Hip-Hop, do samba e dos índios guaranis. Esse contato inicial resulta o projeto “corpos nômades”. Ao término do processo surge a Cia. Corpos Nômades com o espetáculo “OOZE/EZOO” (2000) que, inspirado em poemas de Samuel Beckett, funde a dança contemporânea com elementos de hip-hop e vídeo-arte. A partir de então, seu currículo funde-se ao currículo da Cia. Corpos Nômades, assinando todas as coreografias desde então. Como coreógrafo e bailarino, ganha diversos prêmios  (APCA, indicação Mambembe, Flávio Rangel, Bolsa da CAPES, Bolsa Vitae para o American Dance Festival, etc.). Como professor de dança contemporânea (criação, improvisação e técnica) vem ensinando desde 1990, em diversos locais.